Há espaço para legumes, hortaliças e tudo o resto que se possa cultivar. Numa das entradas da vila da Batalha deverá surgir ainda este ano, uma quinta comunitária.

São 11 mil metros quadrados de terrenos, cedidos por um particular ao município, que poderão ser cultivados por quem o pretender. Falta apenas formalizar a cedência dos terrenos e o projecto avançará.

Será uma ajuda na economia familiar em tempos de crise, reconhece o presidente da Câmara da Batalha, António Lucas. Para usufruir de uma parcela na quinta comunitária, os interessados terão de se candidatar e serão seleccionados de acordo com os critérios de um regulamento que está a ser preparado. O rendimento das famílias é uma das variáveis a levar em conta.

O projecto da autarquia aponta ainda para uma componente de agricultura biológica e de aposta nas energias renováveis. Uma das hipóteses ainda em estudo, aponta para a utilização da energia solar na alimentação do sistema de rega.