Assinar
Sociedade

Há dois investidores interessados topo norte do Estádio de Leiria

O presidente da Câmara de Leiria, Raul Castro, anunciou ontem, 21 de Junho, o interesse de dois grupos privados na aquisição do topo norte do Estádio Municipal de Leiria.

O presidente da Câmara de Leiria, Raul Castro, anunciou ontem, 21 de Junho, o interesse de dois grupos privados na aquisição do topo norte do Estádio Municipal de Leiria.

Raul Castro, independente eleito pelo PS, adiantou que apareceram “dois potenciais grupos de investidores interessados numa parte do estádio”, pelo que é necessário que a autarquia “lance um procedimento de alienação parcial do estádio” para permitir a concretização da hasta pública.

O autarca revelou ainda que se trata de um investidor português e outro estrangeiro. “Um deles manifestou intenção em adquirir também o estádio numa mera conversa”, mas o “interesse principal é no topo norte”, informou.

Contudo, salientou, só depois de se marcar a hasta pública é que “terá a certeza” de que existem realmente interessados.

O presidente adiantou ainda que um dos grupos estará interessado em criar um hotel no topo norte, assim como espaços para serviços e comércio. “Não vamos ser nós a impor a ocupação e uso do espaço”, acrescentou.

Caso a venda em hasta pública não se concretize, Raul Castro considerou que a situação financeira da autarquia “ficará extremamente complicada”, com as “consequências que aí poderão surgir”.

O responsável disse também que os 63 milhões de euros de alienação são suficientes para cobrir os encargos que a autarquia e a empresa municipal têm com o estádio, nomeadamente os empréstimos bancários, que totalizam 58 milhões de euros.

Além disso, se a venda se confirmar, a câmara poderá ainda ter de devolver parte dos apoios comunitários que recebeu para as obras do estádio e verbas referentes a IVA. “Os 63 milhões cobrirão todas as despesas”, assegurou.

Segundo Raul Castro, “o serviço da dívida com o estádio para este ano é de 5,4 milhões de euros”, acrescido de despesas de “conservação e manutenção”, que têm tendência a “crescer de forma exponencial”. Por isso, “o problema da autarquia passa muito pela resolução da situação daquela estrutura”.

O autarca assegurou ainda que não haverá um aumento das faturas de água e saneamento com a “concessão municipal” que a câmara quer fazer no setor.

Em conferência de imprensa, os vereadores do PSD demonstraram ontem preocupação com o facto de a água e o saneamento passarem para um investidor privado. Segundo a vereação, ao investir uma verba avultada, os privados quererão ter retorno, pelo que os sociais-democratas temem o aumento das faturas da água e saneamento a pagar pelos munícipes.

Raul Castro referiu que as tarifas que vai propor no caderno de encargos são “inferiores às apresentadas pela Águas de Portugal” e afirmou que não se trata de uma privatização.

“Durante 30 anos, será arrendado todo o nosso sistema de água e saneamento a um privado que vai gerir com outro tipo de meios, que a autarquia não terá”, disse.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.