Assinar Edições Digitais
Sociedade

Sobe para quatro o número de vítimas mortais no acidente em Travasso

É mais uma memória negra naquela que é considerada por muitos como uma das “estradas da morte” portuguesas: quatro pessoas morreram na segunda-feira, num acidente no IC2

É mais uma memória negra naquela que é considerada por muitos como uma das “estradas da morte” portuguesas: quatro pessoas morreram na segunda-feira, num violento e aparatoso acidente ocorrido do IC2, na zona de Travasso.

As vítimas pertencem todas à mesma família e viviam em Alhais, concelho de Viseu, revelou 2.º comandante dos Bombeiros Voluntários de Pombal, Paulo Albano. Regressavam de uma visita ao Santuário de Fátima quando o carro em que viajavam colidiu frontalmente com um camião que seguia na faixa contrária.

Alcides Morais (37 anos), e a mulher, Elvira Morais (44 anos) tiveram morte imediata. A mãe de Alcides – Maria Fernanda Santos, 72 anos – também não resistiu aos ferimentos e faleceu ainda no local do acidente. O marido, de 75 anos, ainda foi transportado para o Hospital dos Covões, em Coimbra, mas acabou por falecer ainda na segunda-feira.

Da família de Viseu, apenas uma criança de 10 anos, filha de Alcides e Elvira, sobreviveu ao acidente. A menina sofreu ferimentos ligeiros, mas entrou em choque e tem vindo a ser acompanhada pelos médicos do Hospital Pediátrico de Coimbra.

As causas da colisão ainda estão por explicar. Ao que tudo indica, o carro em que seguia a família de Viseu entrou em despiste, embateu numa carrinha de caixa aberta e, só depois, no camião, que o arrastou por cerca de 150 metros.

O acidente provocou grande aparato no IC2, obrigando ao corte da estrada nos dois sentidos durante cerca de duas horas.

SMF