Assinar Edições Digitais
Sociedade

CDU preocupada com situação financeira da Câmara de Alcobaça

A CDU de Alcobaça manifestou quinta-feira preocupação pela situação financeira da autarquia e acusou o Executivo, liderado pelos social-democrata Paulo Inácio, de cometer os mesmo erros que os Governos do PS e PSD.

A CDU de Alcobaça manifestou quinta-feira preocupação pela situação financeira da autarquia e acusou o Executivo, liderado pelos social-democrata Paulo Inácio, de cometer os mesmo erros que os Governos do PS e PSD.

Rogério Raimundo

“Estamos preocupados com a situação financeira da Câmara [de Alcobaça], que cometeu os mesmo erros que os governos PS e PSD, com as parcerias público privadas, e ficou com um conjunto de buracos financeiros”, afirmou hoje Rogério Raimundo, vereador da CDU na Câmara de Alcobaça.

Num jantar em que fez o balanço de dois anos de mandato autárquico na edilidade liderada pelo PSD, Rogério Raimundo criticou “o contrato de adesão à Águas do Oeste” [empresa multimunicipal de abastecimento de água e saneamento aos concelhos do Oeste], responsabilizando-o por “um dos buracos financeiros” da Câmara, que “tinha uma receita de três milhões de euros com a venda de água e, agora, tem que a comprar, mesmo sem precisar”.

A privatização do serviço de recolha e tratamento de lixo é outro dos “buracos” a que a CDU aponta o dedo, considerando que o facto de “só os juros da dívida a estas duas empresas serem de 800 mil euros”.

A divida de 20 milhões de euros, para a construção de dois centros escolares (em Alcobaça e na Benedita) e de um pavilhão desportivo, “sem qualquer garantia de obter financiamento comunitário” é outros dos “esqueletos no armário” que a CDU aponta à gestão social-democrata.

Ao rol das críticas junta-se “muita despesa supérflua” e “promessas não cumpridas” que a levam a CDU a lamentar que “não tenha havido estratégia do PSD” durante os últimos anos, que “pelo menos atenuasse o impacto de políticas nacionais que prejudicam a qualidade de vida dos alcobacenses”.

Lusa