Assinar Edições Digitais
Desporto

Neve e lama dificultam prestação de David Rosa na Turquia

David Rosa, ciclista natural de Fátima, participou em mais uma prova na Turquia, acabando a prova na sétima posição. Neve e muita lama marcaram a prestação, para além de alguns problemas na bicicleta.

David Rosa, ciclista natural de Fátima, participou no último fim de semana em mais uma prova internacional, na Turquia, acabando a prova na sétima posição. Neve e muita lama marcaram a prestação, para além de alguns problemas na bicicleta.

David Rosa enfrentou algumas dificuldades com o estado do terreno

Apesar de tudo, o atleta terminou a Salcano MTB Cup (C1) satisfeito.

“Nos dias que antecederam a prova, tive vários problemas num travão da bike, com fugas de óleo ficando completamente sem travão na sexta [dia 10] (perdendo a tarde toda para ir a uma loja arranjar). No dia seguinte ao pensar que já estava a 100% o mesmo aconteceu. Pelo que hoje o Kadir Kelleci (“te?ekkür”!) emprestou-me um travão que foi montado um pouco antes da prova”, relatou na sua página oficial no Facebook.

A Turquia também não escapou à vaga de frio que se abateu sobre a Europa e os atletas passaram por cenários um pouco fora do normal em competições da modalidade.

“Hoje [sábado, dia 11] houve uma ligeira subida de temperatura pelo que a neve começou a derreter e a prova

ficou um festival de lama. Contando com alguma neve, e principalmente com o piso duro (gelo), não mudei os pneus que trazia (medida 2.2) para uns mais propícios a estas condições,

No final da prova, o atleta estava praticamente irreconhecível

erro crasso. Sinceramente, não era por aí que ganharia muito mais tempo, mas talvez fosse o

suficiente para para ficar um lugar acima (ainda tenho de ver os tempos da prova para os restantes atletas). A cerca de duas voltas do fim fiquei praticamente sem travões o que dificultou em muito a passagem nas descidas enlameadas e em singletrack, vendo o atleta dinamarquês que vinha comigo a ganhar tempo. Na parte final arrisquei um “pouco” mais recuperando algum tempo mas não o suficiente”, acrescentou.