Assinar Edições Digitais
Sociedade

Termas vão “ressuscitar” no hospital das Brancas, na Batalha

Há vários anos que o município da Batalha está a avançar com o processo que visa ressuscitar aquela unidade termal. Agora, Misericórdia e autarquia decidiram juntar esforços.

Há vários anos que o município da Batalha está a avançar com o processo que visa ressuscitar aquela unidade termal. As Termas das Salgadas deverão funcionar nas instalações do Centro Hospitalar Nossa Senhora da Conceição, das Brancas.

Unidade termal deverá ser integrada no centro hospitalar (fotografia: Joaquim Dâmaso)

Afinal, o local teve umas termas privadas até à década de 50 do século passado. Inicialmente apontava-se para a criação de uma unidade independente, mas agora autarquia e Misericórdia da Batalha decidiram juntar esforços, avançando com a instalação da unidade termal no edifício do hospital.

A ideia é “aproveitar melhor as sinergias entre o projeto das termas e a Misericórdia”, explica António Lucas, presidente da Câmara da Batalha.

Esta intenção já foi proposta à Direção-Geral de Saúde, tendo sido “dadas boas perspetivas, pelo que deveremos entretanto avançar com o projeto”, acrescenta o autarca. A nova unidade vai permitir a prestação de 70 tratamentos por dia, representando um investimento inferior a 500 mil euros.

A verba fica aquém dos quase cinco milhões de euros que foram equacionados para o projeto inicial, bastante mais ambicioso. O município chegou a elaborar uma candidatura a fundos comunitários.

“Foi aprovada com um financiamento comunitário de um milhão de euros”, revela António Lucas.

Contudo, seria “uma comparticipação muito curta” para um projeto inicial que compreendia as componentes do lazer e da saúde, com um “investimento que se estimava em cinco milhões de euros”.

A conjuntura económica desfavorável, acabou por incentivar uma solução mais económica.

(notícia publicada na edição de 27 de janeiro de 2012)

AV