Assinar
Sociedade

Câmara da Batalha pede abolição de portagens na A19 para preservar o Mosteiro

O presidente da Câmara da Batalha, António Lucas, reclamou ontem a abolição do pagamento de portagens na Variante da Batalha (A19), autoestrada que abriu ao trânsito em Novembro do ano passado.

O presidente da Câmara da Batalha, António Lucas, reclamou ontem a abolição do pagamento de portagens na Variante da Batalha (A19), autoestrada que abriu ao trânsito em Novembro do ano passado.

Trânsito na A19 é reduzido

Na inauguração do Centro de Interpretação do Mosteiro da Batalha, cerimónia que contou com a presença de Francisco José Viegas, secretário de Estado da Cultura, o autarca lembrou que a nova via, portajada, foi construída para desviar o trânsito que passa junto ao Mosteiro da Batalha, património da Humanidade desde 1983.

“Apenas circulam naquela via, porque é paga, algumas centenas de viaturas. Continuam a passar junto ao mosteiro 40 mil veículos, sendo que desses oito mil são pesados”, referiu, apelando ao Governo que prescinda dos “cêntimos” que encaixa com as portagens para que o trânsito deixe efetivamente de passar junto ao monumento.

Os gases emitidos pelos automóveis, bem como a trepidação que originam, são prejudiciais para o Mosteiro da Batalha, razão pela qual avançou a construção da Variante.

O presidente da Câmara da Batalha argumenta, todavia, que a nova autoestrada tem níveis de tráfego extremamente reduzidos, razão pela qual só servirá o propósito para a qual foi construída se aí for possível circular sem pagar.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.