Assinar Edições Digitais
Sociedade

Governo faz depender aviação civil em Monte Real da existência de investimento privado

O secretário de Estado das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, Sérgio Monteiro, manifestou hoje a abertura governamental para a utilização da Base Aérea da Monte Real à aviação civil. Isso mesmo adianta Fernando Costa, presidente da Câmara de Caldas da Rainha que ao final da manhã de hoje reuniu com o governante.

 O secretário de Estado das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, Sérgio Monteiro, manifestou hoje a abertura governamental para a utilização da Base Aérea da Monte Real à aviação civil. Isso mesmo adianta Fernando Costa, presidente da Câmara de Caldas da Rainha que ao final da manhã de hoje reuniu com o governante.

“Há abertura governamental, mas naturalmente que terá de existir a iniciativa por parte de entidades provadas para explorar a atividade”, explica o autarca que reuniu com o Sérgio Monteiro, acompanhado dos deputados Paulo Batista e Valter Ribeiro, do PSD. Fernando Costa lembra que o turismo e o apoio à população emigrante dos distritos da zona centro poderão ser os mercados que sustentem a viabilidade daquele novo terminal. As baixas taxas aeroportuárias poderão ser um atrativo, numa clara aposta à utilização de Monte Real como base para as companhias low-cost. “Naturalmente que o governo terá de analisar os projetos, mas antes de mais é necessário que eles surjam”, enfatiza Fernando Costa. 

Fernando Costa adianta ainda que a questão da manutenção do serviço de passageiros na Linha do Oeste foi abordada na reunião, tendo sido agendado novo encontro para analisar questões técnicas relativas ao plano de redução de custos e aumento de serviços para os passageiros, proposto pelo estudo “Linha do Oeste: diagnóstico e propostas para a sua viabilidade” levado a cabo pela plataforma formada por autarcas, deputados e associações empresariais. “Penso que estamos no bom caminho e demonstrámos que a linha é útil e necessária”, comenta Fernando Costa.