O alerta foi lançado pelo diretor geral da Saúde. Quem viajar para Londres para assistir aos Jogos Olímpicos ou Paralímpicos, em julho e agosto, deverá confirmar se tem a vacina contra o sarampo em dia.

Segundo Francisco George, o risco de contrair a doença existe e “é elevado” neste tipo de eventos de cariz internacional, através do “contacto com pessoas em fase de contágio”, pelo que a prevenção é aconselhável.

“O sarampo é uma das doenças infecciosas mais contagiosas, podendo provocar doença grave ou mesmo a morte. É prevenível pela vacinação e está, há vários anos, controlado em Portugal uma vez que a grande maioria das pessoas está protegida por vacinação ou por ter tido a doença”, adianta o responsável em comunicado.

No entanto, em muitos países europeus, incluindo Inglaterra, têm ocorrido surtos/epidemias de sarampo nos últimos anos, em crianças e adultos.

No ano passado, cerca de sete mil pessoas foram hospitalizadas, tendose registado nove mortes, adverte a Direção-Geral da Saúde (DGS), frisando que “a doença é ainda frequente em África e na Ásia”.

Consideram-se protegidos contra o sarampo os viajantes que tiveram a doença, que, com menos de 18 anos, tenham recebido duas doses
de vacina contra o sarampo (VASPR – Vacina combinada contra o sarampo, a papeira e a rubéola), ou, com 18 anos ou mais, tenham recebido uma dose de vacina contra o sarampo (VAS ou VASPR).

Quem for a Londres, deverá verificar o seu estado vacinal quatro a seis semanas antes da viagem, junto do seu centro de saúde. A vacinação é gratuita.

Para mais informações sobre a prevenção de doenças em viagem, consulte a página da DGS em www.dgs.pt. Em caso de dúvidas, pode ainda recorrer à Linha Saúde 24 (808 24 24 24).