Assinar
Sociedade

Regras para não perder os seus filhos

Uns segundos de desatenção bastam para perder o rasto a crianças em espaços movimentados. Mostramos-lhe como deve reagir e o que deve ensinar aos miúdos para as evitar.

Bastaram dois minutos e uma sucessão de coincidências para que Adília Moreira perdesse de vista o filho Dinis, de cinco anos. O pesadelo durou perto de uma hora e colocou a praia da Nazaré num alvoroço no dia 31 de julho.

Mas a situação não é inédita: só este ano, a Capitania da Nazaré já registou quatro casos idênticos naquela praia. E a estes há a juntar muitos outros, que são resolvidos sem intervenção das autoridades.

Todos os cuidados são poucos quando se frequentam espaços públicos com crianças. Que o diga Adília, que tinha passado a tarde com os olhos postos nos dois filhos mais novos, enquanto eles brincavam à beira-mar.

Acabou por perder Dinis ao final do dia, enquanto arrumava as toalhas para voltar para casa. Foi tudo muito rápido. Dinis pediu para brincar no escorrega enquanto os pais arrumavam a roupa. Adília estava perto do parque infantil e autorizou, com a condição de que a filha Íris, de 9 anos, acompanhasse o irmão.

Íris seguiu atrás de Dinis mas parou a meio caminho e sentou-se na areia a limpar os chinelos. O pequeno Dinis olhou para trás e não viu a irmã.

Convencido de que a família tinha ido embora sem ele, caminhou em direção ao carro. Mas esta sequência de acontecimentos só seria reconstruída uma hora depois.

Durante esse período, Adília procurou o filho por toda a praia, chegando a acreditar que a criança tinha sido raptada. “Quanto mais corria mais afogada estava, é uma aflição enorme”, recorda.

A família procurou a criança durante dez minutos e, quando percebeu que o menino não estava por perto, pediu ajuda. Aí, a Capitania da Nazaré acionou os meios habituais nestes casos: informou a PSP, colocou um nadador salvador a percorrer a praia numa moto 4 e avisou os veraneantes, através de um sistema de som, de que havia uma criança desaparecida…

Leia a reportagem completa na edição de 10 de agosto de 2012 do REGIÃO DE LEIRIA, em papel ou online.

Sandra Mesquita Ferreira
sandra.ferreira@regiaodeleiria.pt

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.