Assinar
Mercado

Os pequenos “pellets” já valem 30 milhões de euros no distrito de Leiria

A valorização de desperdícios de madeira está a desbravar mercado no norte da Europa. A nova fábrica da Pelletsfirst em Alcobaça cria 40 postos de trabalho.

João Magalhães com Paulo Inácio, presidente da Câmara (ao centro), e Almeida Henriques, em Alcobaça (fotografia: Joaquim Dâmaso)

A exportação de “pellets” de madeira a partir do distrito de Leiria vai chegar aos 30 milhões de euros no próximo ano, graças ao contributo de uma nova fábrica na zona industrial do Casal da Areia, Alcobaça.

O investimento, na ordem dos 15 milhões de euros, tem origem no norte do país. Os irmãos João e Alexandre Magalhães (do Porto) e o Grupo Abel Ribeiro da Silva (de Guimarães) criam 40 empregos na Pelletsfirst, que se junta a uma unidade gémea, a Enerpellets, a laborar desde 2009 no concelho de Pedrógão Grande (faturou 12 milhões em 2011).

Os “pellets” de madeira são aglomerados que aproveitam desperdícios das serrações e resíduos de cortes florestais. Os que a Enerpellets produz no norte do distrito de Leiria destinam-se a centrais elétricas internacionais operadas por empresas como a EDP, onde substituem o carvão, reduzindo a pegada ecológica.

Leia a notícia na íntegra na edição de 9 de novembro de 2012. Pode adquiri-la online aqui.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.