Assinar
Saúde

Ativação muscular ajuda a recuperar movimentos e aliviar as dores

Enquanto a abordagem da fisioterapia é mais localizada, a ativação muscular procura reequilibrar o organismo devolvendo ao paciente a liberdade de movimentos. Há três anos que Nuno Figueiroa promove esta prática em Leiria.

A ativação muscular é recente em Portugal, tendo surgido em Leiria, há cerca de três anos, pelas mãos de Nuno Figueiroa, formado em Ciências do Desporto e Educação Física e especializado em treino personalizado. A nova técnica “utiliza um sistema de reflexos em todo o corpo de modo a despertar os músculos” e distingue-se da fisioterapia na abordagem ao funcionamento do corpo.

Nuno Figueiroa, residente em Leiria, é um dos precursores da nova técnica em Portugal (fotografia: Joaquim Dâmaso)

Enquanto a abordagem da fisioterapia é mais localizada, a ativação muscular procura reequilibrar o organismo devolvendo ao paciente a liberdade de movimentos.

“Não curamos ninguém. Somos facilitadores e ajudamos no processo de recuperação”, revela Nuno Figueiroa, que compara a ativação muscular ao shiatsu e à acupunctura sem agulhas. A esta técnica alia ainda a kinesio taping, que consiste na colocação de bandas adesivas para dar suporte aos músculos e proporcionar conforto.

“Só trabalhamos com os dedos, massajando as zonas de conflito com a pessoa deitada ou sentada. Normalmente nunca tocamos nas costas”, acrescenta, referindo que é outro objetivo ensinar à pessoa alguns exercícios para que possa trabalhar também em casa. Os resultados são imediatos, afirma Nuno Figueiroa, referindo uma média de quatro sessões de uma hora (à razão de uma por semana) para aliviar a dor e ajudar o utente a recuperar da zona afetada.

Leia a notícia completa na edição de 7 de dezembro de 2012. Pode adquiri-la online aqui.

Martine Rainho
martine.rainho@regiaodeleiria.pt

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.