E se para além da visita ao Mosteiro da Batalha, for possível calcorrear os locais onde nasceram os blocos de pedra usados para construir o monumento?

A ideia está em marcha e a visita poderá até ser possível em finais do verão, caso não se arrastem em demasia os procedimentos burocráticos que o permitam.

Para já, a 3 de abril, em Diário da República, foi publicado o aviso de abertura do procedimento de classificação como imóveis de interesse municipal, das Pedreiras Históricas de Valinho do Rei e Pidiogo, situadas na freguesia de Reguengo do Fetal.

A medida da Câmara da Batalha pretende não só sublinhar a importância daquelas pedreiras, como assegurar a classificação que deverá permitir acelerar o processo de licenciamentos das intervenções necessárias para trazer os turistas ao “berço” do Mosteiro.

Na prática, a ideia será integrar as pedreiras ligadas à construção e recuperação do do monumento, num circuito pedonal com cerca de nove quilómetros.

António Lucas, presidente do município, adianta que existe interesse turístico em conhecer as origens do monumento e que o novo circuito acrescenta valor na visita ao Mosteiro. Desta forma, será igualmente possível prolongar o tempo que os turistas permanecem no concelho, reforça.

(Notícia publicada na edição de 11 de abril de 2013)

CSA