Assinar Edições Digitais


Alcobaça

Aluno da Secundária D. Inês de Castro batiza asteroide

Inicialmente designado por 2012 FF25, objeto tem sido observado nos últimos anos pelos mais importantes telescópios do mundo, mas o asteroide levou quase 6 anos a ser validado.

Paulo Carapito e Bernardo Figueiredo, professor e aluno, têm o desafio de escolher um nome para o objeto planetário

Um aluno e um professor da Escola Secundária D. Inês de Castro, em Alcobaça, estão entre os escolhidos para atribuir o nome a um objeto do Sistema Solar.

Trata-se de um asteroide que foi descoberto por quatro equipas de alunos e professores do nosso país em 2012, mas as regras da União Astronómica Internacional obrigaram a quase seis anos de espera até a descoberta poder ser oficializada.

A campanha que levou à descoberta do asteroide 2012 FF25 pelos alunos portugueses envolveu escolas e universidades de todo o mundo, em parceria com o programa internacional de procura de pequenos corpos do Sistema Solar, IASC (International Asteroid Search Collaboration), com sede na Universidade de HardinSimmons, no Texas.

Em Portugal, a organização das campanhas é feita pelo NUCLIO – Núcleo Interativo de astronomia.

A sorte de descobrir o objeto 2012 FF25 coube às equipas da Escola Secundária D. Maria II, (Braga), Escola Secundária Luís de Freitas Branco (Paço D’Arcos), Agrupamento de Escolas de Valpaços e a Escola Secundária D. Inês de Castro (Alcobaça), com uma equipa constituída por Bernardo Figueiredo e o professor Paulo Carapito

Inicialmente designado por 2012 FF25, este objeto tem sido observado nos últimos anos pelos mais importantes telescópios do mundo, mas o asteroide levou quase 6 anos a ser validado, com várias observações subsequentes que serviram para determinar com rigor as suas órbitas e posições.

A descoberta foi finalmente oficializada pelo Minor Planet Center, que inclui agora o asteroide no catálogo dos corpos do Sistema Solar, e que lhe irá atribuir o nome escolhido pelos seus descobridores.