Select Page

Marcelo Rebelo de Sousa visita Vieira de Leiria um mês depois dos fogos

Marcelo Rebelo de Sousa visita Vieira de Leiria um mês depois dos fogos

A 15 de outubro de 2017 o sol brilhava e as temperaturas estavam elevadas. Ao início da tarde, vários focos de incêndio deflagraram na região de Leiria e acabaram por se transformar em violentos incêndios que devastaram a Mata Nacional de Leiria, atingiram habitações e empresas da região.

Passado um mês, o valor global final dos prejuízos que se registaram nos municípios de Alcobaça, Leiria, Marinha Grande, Óbidos e Pombal, ainda não está apurado mas calcula-se que atinja as dezenas de milhões de euros.

Entre as manchas florestais atingidas, o Pinhal de Leiria surge com grande destaque, pois ficou reduzido a cerca de 20% da sua extensão, e seus prolongamentos para norte (Mata Nacional do Urso, em Pombal) e para sul (orla costeira de Alcobaça).

Ontem, terça-feira, Marcelo Rebelo de Sousa fez uma “visita relâmpago” a Vieira de Leiria, concelho da Marinha Grande,  onde visitou algumas zonas ardidas, entre elas uma empresa e o espaço onde voluntários recolhem bens e alimentos.

Satisfeito com a determinação das pessoas em querer reerguer o que perderam, o Presidente da República adiantou que as coisas estão a “avançar rapidamente”.

Marcelo Rebelo de Sousa destacou que o que aconteceu na Mata que é propriedade do Estado, “é uma lição para o futuro”. Ou seja, “quer dizer que o Estado tem de cuidar melhor da sua floresta”.

Para o Presidente da República, “no meio das tragédias há lições que se aproveitam para o futuro”.

A lição de que é preciso gerir diferente a floresta”, foi uma das apontadas por Marcelo Rebelo de Sousa, que acrescentou que viu “anunciado que o Governo está a preparar uma solução diferente” para a gestão da floresta.

Marcelo Rebelo de Sousa acrescentou que será “uma outra entidade diferente e gerida de forma diferente, uma empresa pública [criada] para essa matéria”.

Lembrou ainda que “há medidas que vão sendo aprovadas e há reparações que vão sendo feitas”.

Após a passagem pela Marinha Grande, Marcelo Rebelo de Sousa admitiu ter ficado “surpreendido” com o que viu: “porque aqui a floresta rodeia a área urbana e entra pelas casas, o que significa que houve imediatamente danos e alguns irreparáveis”.

Segundo o Presidente, “é importante a forma como a Junta de Freguesia e a Câmara Municipal fizeram o levantamento”, “têm dado o apoio e têm defendido aquilo que é fundamental, que é chamar a atenção para um município que foi bastante atingido”.

No final da visita, o Presidente da República desafiou o sócio-gerente da empresa de Vieira de Leiria e a sua família para um jantar em Leiria, antes do jogo da seleção nacional.

Na região Centro, os fogos de 15 e 16 de outubro na região Centro provocaram 45 mortos e cerca de 70 feridos, nenhuma delas na região de Leiria, destruíram total ou parcialmente cerca de 800 habitações permanentes, quase 500 empresas e extensas áreas de floresta.

 

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Siga-nos

Primeira Página

Publicidade

Publicidade

Pergunta da semana

A carregar

Concorda com um agravamento de 30% na quota de condomínio para os proprietários de alojamento local?

Obrigado pelo seu voto!
Já votou nesta pergunta!
Selecione uma das opções!

Região de Leiria no Facebook

Subscrição de newsletter

Share This