Assinar Edições Digitais
Alcobaça

Doentes do Centro Hospitalar de Leiria vão poder ter companhia na noite de Natal

Os doentes internados nas unidades do Centro Hospitalar de Leiria (CHLeiria) vão poder passar a consoada de Natal com familiares e amigos no hospital, ficando a ceia a cargo destes.

Horário das visitas vai ser  alargado sem interrupções em alguns serviços e em alguns dias Foto de arquivo

Os doentes internados nas unidades do Centro Hospitalar de Leiria (CHLeiria) vão poder passar a consoada de Natal com familiares e amigos no hospital. A medida, que partiu da Comissão de Humanização do CHLeiria, prevê ainda o alargamento sem interrupções do horário de visitas durante a época festiva em alguns serviços.

“Estas alterações serão asseguradas de forma a respeitar e manter o bom funcionamento dos serviços de internamento nas três unidades – Hospital de Santo André (HSA), Hospital Distrital de Pombal e Hospital de Alcobaça Bernardino Lopes de Oliveira –”, proporcionando às famílias e amigos a possibilidade de passar mais algum tempo com os doentes internados, refere o CHLeiria em comunicado.

Na noite de 24 de dezembro, véspera de Natal, “os familiares poderão jantar com os doentes nos serviços de internamento, ficando a refeição a cargo dos familiares”, explica a administração do CHLeiria, acrescentando que deverão, para o efeito, questionar, para cada caso, a equipa de enfermagem sobre eventuais condicionantes.

Nos dias 23, 24, 25 e 31 de dezembro e 1 de janeiro, as visitas passam a decorrer nos serviços de internamento entre as 15 horas e as 20h30.

Os doentes internados na Unidade de Cuidados Intensivos Cardíacos do HSA podem nesses dias receber visitas entre as 15 e as 20 horas.

Já os horários em vigor nos serviços de Medicina Intensiva do HSA e na Unidade de Internamento de Curta Duração (Leiria, Alcobaça e Pombal) mantêm-se (15h00–15h30 / 19h00–19h30, e 14h30–15h30 / 19h00–20h00, respetivamente) bem como o número de dois visitantes por doente, em simultâneo.

A Comissão de Humanização “dedica o seu trabalho a minimizar o impacto da doença na vida de doentes e famílias, com o objetivo de, mesmo para quem não pode estar em casa nestes dias, os afetos e o carinho possam estar sempre presentes”, refere a mesma nota.