A escolha entre Rui Pedrosa e Carlos Rabadão para a presidência do Politécnico de Leiria deverá ficar resolvida esta quinta-feira, dia 15, e está nas mãos de um reduzido grupo de pessoas. É nesse magro universo de eleitores que se joga a luta pela presidência.

Sem a visibilidade de outras corridas eleitorais, até ao dia das eleições decorre uma discreta campanha junto de quem tem o poder de voto.

Se é certo que entre as mais de 11 mil pessoas do universo – entre alunos, docentes todos podem ter um candidato preferido, poucos serão, todavia, aqueles que podem verdadeiramente decidir. É que a eleição do presidente é um privilégio dos 33 elementos do Conselho Geral (CG) do Instituto Politécnico de Leiria.

O CG, presidido pelo ex-secretário de Estado do Ensino Superior Pedro Lourtie, é o órgão que toma algumas das mais relevantes decisões do politécnico – incluindo a aprovação do orçamento e a fixação de propinas – e nesse rol de prerrogativas está, igualmente, a escolha do presidente.

Este órgão conta com 17 representantes dos professores e investigadores do instituto, cinco representantes dos estudantes e ainda um representante do pessoal não docente, bem como uma dezena de personalidades exteriores ao politécnico: Raul Castro, presidente da Câmara de Leiria, a socióloga e investigadora Luísa Schmidt, a antiga presidente da autarquia leiriense Isabel Damasceno, o empresário Luís Febra e Paulo Lameiro, diretor da escola de artes da SAMP, são alguns dos elementos externos ao instituto com poder de voto.

A 9 de fevereiro fechou o prazo para a apresentação de candidaturas à presidência. Os dois candidatos vão contar com uma hora cada para apresentar os seus argumentos à comunidade em cada uma das três sessões públicas que decorrem nas cidades com escolas do politécnico: Leiria (nesta segunda, dia 12), Caldas da Rainha (no dia seguinte) e Peniche (esta quarta, dia 14).

Mas, independentemente dos méritos da candidatura e de como ela é recebida pelo público, será na audição junto do Conselho Geral, esta quinta-feira, dia 15, dia das eleições, que os candidatos têm a derradeira oportunidade para mostrar o que valem.

Nesse dia, tudo indica, o novo presidente será escolhido. O primeiro a falar será Carlos Rabadão – uma vez que as intervenções são realizadas por ordem alfabética. Cada candidato terá hora e meia para dirimir os seus argumentos (meia hora para apresentar a candidatura e uma hora para discutir o seu programa).

Ouvidos os candidatos, segue-se a eleição, por voto secreto. O novo presidente precisa de uma maioria absoluta do CG para ser eleito. Com dois candidatos, a tarefa estará simplificada. Mas num cenário em que a maioria absoluta de um candidato não surge na votação, os regulamentos admitem um máximo de três repetições do ato eleitoral.

No caso extremo de não surgir um candidato maioritário ao fim de todo este processo, um novo processo eleitoral é desencadeado e começa tudo outra vez.

Quem são os candidatos?

Carlos Rabadão é doutor em Engenharia Informática e professor da Escola Superior de Tecnologia e Gestão (ESTG), presidente do Conselho Técnico-Científico da ESTG e ex-provedor do estudante do politécnico de Leiria, avançou com a candidatura à presidência no final do prazo de candidaturas. É de Quiaios e tem 52 anos.

Rui Pedrosa é doutorado em Biologia Humana, professor adjunto da Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar do Instituto Politécnico de Leiria, há cerca de quatro anos que desempenha as funções de vice-presidente do instituto. Foi o primeiro candidato conhecido à presidência. É natural de Guimarães e tem 42 anos.

Carlos S. Almeida
Jornalista
carlos.almeida@regiaodeleiria.pt

Quem vota? 

Presidente: 
Pedro Lourtie (ex-secretário de Estado do Ensino Superior)

Vice-presidente:
Isabel Damasceno
(ex-presidente de Câmara de Leiria)

Secretária:
Ana Sargento (ESTG)

Representantes dos professores e investigadores :
Carlos Neves (ESTG)
Carlos Rabadão (ESTG)
Isabel Rebelo (ESECS)
João Serra (ESAD.CR)
José Frade (ESAD.CR)
Maria Barreto (ESECS)
Clarisse Louro (ESSLei)
Maria Ribeiro (ESTG)
Maria Pereira (ESECS)
Nuno Mangas (ESTG)
Paulo Almeida (ESTM)
Pedro Assunção (ESTG)
Pedro Martinho (ESTG)
Rui Pedrosa (ESTM)
Teresa Mouga (ESTM)
Vítor Távora (ESTG)

Representantes dos estudantes:
Bruno Oliveira
João Silva
Joel Rodrigues
Luís Paulo
Nuno Santos

Representante do pessoal não docente e não investigador:
Cláudia Vala

Personalidades externas cooptadas:
António Correia Santos (Câmara de Peniche);
António Poças da Rosa presidente do conselho de administração do grupo inCentea;
Frederico Rosa, ex-estudante do IPLeiria e COO na Sonae Capital Company;
João Morais, diretor do serviço de cardiologia do Centro Hospitalar de Leiria;
Luís Febra, CEO do grupo SOCEM;
Luísa Schmidt; socióloga investigadora principal no ICS da UL;
Paulo Lameiro, fundador e diretor artístico da Escola de Artes SAMP;
Raul Castro, presidente da Câmara de Leiria