Select Page

Acampamento junta 2.500 escoteiros na Barosa e promete fazer a diferença

Montagem do ACNAC arrancou na segunda-feira na Barosa. Domingues António e David Otero, entre escoteiros de Aveiro, Barosa e Queluz Foto: Joaquim Dâmaso

É o maior acampamento nacional realizado pela Associação de Escoteiros de Portugal (AEP) aquele que traz durante uma semana, à Barosa, cerca de 2.500 jovens e dirigentes escoteiros, incluindo estrangeiros. O mega acampamento, que promete animar durante sete dias toda a região, começa este domingo na zona do parque de merendas da Barosa, onde irá ocupar cerca de 20 hectares.

Subordinado ao tema “A diferença sou eu”, o evento está a ser preparado há cerca de dois anos, tendo sido escolhida a proposta apresentada pelo grupo 251 da Barosa de entre 15 candidaturas. Pesou na escolha da estrutura nacional o facto de a Barosa possuir “uma grande zona arvorada e boa para acampar”, e, num raio de 50 quilómetros, grandes potencialidades para a realização das mais de 1.500 atividades programadas, explica ao REGIÃO DE LEIRIA David Otero, coordenador geral do 25º ACNAC – Acampamento Nacional da AEP.

“Este recinto é espetacular”, sublinha, referindo que vários particulares cederam terrenos confinantes para a montagem do campo. Este inclui uma arena – onde terá lugar a cerimónia de abertura no domingo, dia 29, às 18 horas -, um hospital de campanha com vários médicos e enfermeiros, uma cozinha central para a alcateia (lobitos) e equipa de coordenação, zonas de balneários e sanitários, e áreas de acampamento para as quatro divisões – alcateia de lobitos (dos 6 aos 11 anos), tribo de escoteiros (dos 11 aos 14 anos), tribo de exploradores (14 aos 17 anos) e clã dos caminheiros (17 aos 21 anos) – e para o staff.

Respeitando o mote do evento que visa promover a multiculturalidade e a aceitação da diferença, foi atribuído a cada subcampo um “continente”, estando prevista a dinamização de atividades relacionadas com as respetivas culturas: Ásia para os lobitos, África para os escoteiros, Europa para os exploradores, Américas para os caminheiros e Oceânia para a chefia.

No final do encontro, dia 4, e como é apanágio do movimento, os escoteiros procurarão deixar o local “melhor do que o encontraram”, adianta David Otero. A segurança é outra pedra de toque destes encontros, tendo sido elaborado com a Proteção Civil Municipal de Leiria um plano de emergência para o evento e destacada uma equipa de dirigentes com formação específica nessa área. O campo estará ainda vedado ao público. Já os transportes serão garantidos por uma frota de 30 a 40 autocarros da Rodoviária do Lis. O check-in e o chek-out terão lugar junto às piscinas municipais, onde decorrerá, na sexta-feira à noite, dia 3, a festa de encerramento.

Entretanto, haverá caminhadas, jogos, desportos radicais e aquáticos, passeios, workshops temáticos em campo, atividades de orientação um pouco por toda a região, entre a Figueira da Foz e a Lagoa de Óbidos, para todos os escoteiros.

Associando-se às comemorações do Ano Europeu do Património Cultural, e retribuindo com iniciativas de cariz solidário, comunitário e ambiental, o apoio dado localmente por diversas entidades, nomeadamente o município de Leiria, o 25º ACNAC irá dar primazia à valorização do património, estando a sexta-feira reservada a um grande jogo de cidade e ações de limpeza no percurso Polis, horto municipal, Sª do Monte e Sª da Encarnação, e pintura de muros grafitados na zona da Vala Real, Tribunal de Leiria, Marachão, Biblioteca Municipal e Villa Portela.

Uma semana com o maior ACNAC de sempre

O último ACNAC teve lugar há sete anos. Para o seu 25º acampamento nacional, a AEP, fundada em 1913, escolheu a Barosa pela sua localização privilegiada e potencialidades para acolher cerca de 2.500 escuteiros.

De domingo, 29 de julho, a 4 de agosto, serão dinamizadas mais de 1.500 atividades em vários pontos da região. Com cerca de 13 mil escoteiros distribuídos por 203 unidades no Continente e Regiões Autónomas, a AEP segue os princípios e espírito do movimento escotista fundado por Baden-Powell, distinguindo-se do Corpo Nacional de Escutas (CNE) por não estar ligada a qualquer confissão religiosa.

O grupo 251 da Barosa nasceu oficialmente a 28 de dezembro de 2013, depois de ano e meio de preparação. É a única unidade da AEP do distrito, e está entre as maiores do país com um efetivo de 109 elementos: 30 lobitos, 32 escoteiros, 27 exploradores, 13 dirigentes e sete representantes dos pais.

Quanto ao sucesso do 25º ACNAC, que está a ser preparado “incansavelmente” há já dois anos, a AEP e o grupo da Barosa partilham do mesmo otimismo. “A expetativa é grande” e “o programa excecional”, destaca David Otero, realçando o número “altíssimo” de participantes. “É a primeira vez que conseguimos juntar pessoas de todos os municípios em que temos grupos de escoteiros”, refere ainda.

Domingues António, chefe do grupo 251 da Barosa, também não esconde o seu entusiasmo. “Para nós é uma responsabilidade muito grande” e “estamos superfelizes de receber tanta gente”.

“Para a Barosa vai ser uma experiência inesquecível”, assim como para Leiria, nomeadamente no dia 3, em que cerca de 2.500 escuteiros irão desenvolver atividades que vão “marcar a cidade”. Quanto ao crescimento da unidade, adianta que tem sido muito procurada e que conta com escoteiros de Leiria, da Marinha Grande e até de Alfeizerão. Acrescenta que mantém uma boa relação com o CNE, tendo o grupo sido já convidado a participar nas comemorações do dia do BP e acampamentos regionais.

(Artigo publicado na edição de 26 de julho de 2018 do REGIÃO DE LEIRIA)

Martine Rainho
Jornalista
martine.rainho@regiaodeleiria.pt

Embora de âmbito nacional, o ACNAC irá contar com a participação de 250 escoteiros estrangeiros, entre os quais um contingente de cem elementos de Israel, e mais 150 jovens e dirigentes de S. Tomé e Príncipe, Ucrânia, Bélgica, França e Luxemburgo

Para nós é uma responsabilidade muito grande e estamos super felizes de receber tanta gente. Para a Barosa vai ser uma experiência inesquecível.

Domingues António

Chefe do Grupo 251 da Barosa da Associação de Escoteiros de Portugal

É a primeira vez que conseguimos juntar pessoas de todos os municípios em que temos grupos de escoteiros.

David Otero

Coordenador-geral do ACNAC

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Primeira Página

Publicidade

Pergunta da Semana

A carregar

A Câmara de Leiria deve transferir, a partir de 2020, a Feira de Maio para uma nova localização?

Obrigado pelo seu voto!
Já votou nesta pergunta!
Selecione uma das opções!

Newsletter Região de Leiria

app repórter no mundo

Guia do Fim de Semana


Subscreva o nosso guia e descubra as melhores propostas culturais e de entretenimento disponíveis na região

Obrigado! Subscreveu com sucesso o nosso guia de fim de semana.

Guia do Fim de Semana


Subscreva o nosso guia e descubra as melhores propostas culturais e de entretenimento disponíveis na região

Obrigado! Subscreveu com sucesso o nosso guia de fim de semana.

Share This