Assinar

Avião com 149 passageiros a bordo aterra de emergência em Faro escoltado por F16

No espaço de 24 horas, F16, em alerta permanente na Base de Monte Real, tiveram que deslocar e escoltar duas aeronaves, para aterragem de emergência, em território nacional.

Foto: Joaquim Dâmaso

Pela segunda vez em menos de 24 horas, uma parelha de F16 da Base de Monte Real (BA5) acompanhou uma aeronave que sobrevoava território nacional e registou dificuldades durante o voo. 

Hoje, segunda-feira, uma aeronave da companhia aérea holandesa Transavia,  declarou emergência após descolar do Funchal, ilha da Madeira, anunciou a Força Aérea Portuguesa, ao início da tarde.

O avião, um Boeing 737 da Transavia que transportava 149 passageiros a bordo, comunicou problemas de pressurização quando fazia a ligação com Amesterdão, revelou a FAP, em comunicado.

A aeronave divergiu e aterrou em segurança no aeroporto de Faro, pelas 12h51, adiantou a FAP, que na sequência do alerta ativou “todo o seu sistema primário de Busca e Salvamento, no decurso da ocorrência”.

Esta foi a segunda vez em menos de 24 horas que a Força Aérea ativou a parelha de F16 em alerta permanente na Base Aérea nº5, em Monte Real, para escoltar uma aeronave civil em dificuldades.

Na conta na rede social “Twitter”, o ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, salientou a prontidão da FAP: “É muito raro ter 2 emergências em 2 dias, mas a FAP estava preparada”, escreveu.

No domingo, o avião da Air Astana, que descolou de Alverca às 13h21 e que declarou emergência, esteve algum tempo a sobrevoar a região a norte de Lisboa e o Alentejo, numa trajetória irregular, antes de ter sido tomada a decisão de o Embraer da companhia do Cazaquistão aterrar no aeroporto de Beja, o que aconteceu às 15h28, à terceira tentativa.

Durante a emergência, as autoridades chegaram a equacionar a possibilidade de a aeronave fazer uma amaragem no rio Tejo, mas as condições atmosféricas não o permitiram.

A aterragem foi acompanhada por dois F16, que saíram de Monte Real, e voaram junto à aeronave até esta aterrar em Beja.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.