Select Page

Composições na Linha do Oeste deverão ser reforçadas a partir de julho

Linha do Oeste aguarda por obras de modernização entre Meleças e Caldas da Rainha mas o concurso público ainda não foi lançado. Foto de arquivo: Joaquim Dâmaso

O Governo vai reforçar, a partir de julho, as composições na linha ferroviária do Oeste para responder aos problemas das avarias e das supressões, evitando o que aconteceu no verão passado, anunciou hoje o ministro das Infraestruturas.

“Temos a preocupação de não ter os problemas que tivemos no ano passado e estamos a trabalhar para reforçar a partir de julho a Linha do Oeste”, afirmou o ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos.

O governante explicou que, no verão, com o aumento da temperatura e a necessidade de ligar o ar condicionado, as avarias das composições tendem a aumentar.

À margem da assinatura de um contrato entre a Câmara de Arruda dos Vinhos, no distrito de Lisboa, e o Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana, Pedro Nuno Santos disse que quer “acautelar que, quando uma composição avaria, exista outra para a substituir”.

“Como estamos a eletrificar linhas no Norte, vamos conseguir libertar unidades que vamos deslocalizar para a Linha do Oeste para diminuir os problemas que a Linha do Oeste sofre todos os anos no verão”, adiantou.

Vão ser deslocalizadas unidades diesel dos troços Caíde/Marco, na Linha do Douro, e Nine/Viana, na Linha do Minho.

Das quatro unidades alugadas à espanhola Renfe, que ainda não estão a circular e que deverão ser entregues à CP até setembro, duas unidades vão reforçar o parque da Linha do Oeste.

Dentro de três a quatro anos, a solução poderá passar por novo material circulante que o Governo tenciona ter pronto a adquirir e para o qual decorre um concurso público.

No ano passado, por causa das avarias e da falta de manutenção do material circulante, a CP reduziu os horários na Linha do Oeste entre agosto e novembro, para evitar supressões de comboios.

A redução de horários e de comboios, assim como as supressões, motivaram queixas dos utentes.

A Linha do Oeste aguarda por obras de modernização entre Meleças (Sintra) e Caldas da Rainha, no valor de mais de 100 milhões de euros, mas o concurso público ainda não foi lançado.

A tutela esclareceu hoje que “os projetos de execução da modernização serão aprovados nos próximos meses”.

“Após a aprovação, serão efetuados os procedimentos que permitirão o lançamento dos concursos para as respetivas empreitadas”, segundo o Governo.

Agência Lusa

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Primeira Página

Pergunta da Semana

A carregar

Concorda que a Agência Mundial Antidopagem tenha proibido a Rússia, durante quatro anos, de participar em todas as competições desportivas globais?

Obrigado pelo seu voto!
Já votou nesta pergunta!
Selecione uma das opções!

Publicidade

Newsletter Região de Leiria

app repórter no mundo