Select Page

A Casa do Barroquinho: Uma descoberta doce na Marinha Grande

Com sede na Amieira, pastelaria produz uma variada e colorida carta de bolos, doces e pães de confeção artesanal

Abriu no início de 2017, mas desde o findar do ano passado o antigo proprietário passou a batuta da gestão. Na estrada que liga Casal Novo à Marinha Grande, a pequena loja que deu vida à Casa do Barroquinho mudou de gerência no último semestre, mas se houve alterações no serviço, foi para melhor. É o que indicam os elogios ao trabalho desde então, tal como a fila para encomendas, que alcançam facilmente a casa das centenas aos fins de semana.

“O conceito continua o mesmo”, explica Nelson Dias, o novo nome responsável pelo espaço que ganhou clientela fiel por conta do cuidadoso fabrico próprio. No misto de pastelaria e padaria, há folhados, croissants e até brigadeiros, mas os destaques mesmo aparecem em camadas que combinam pão de ló e diferentes recheios artesanais. Constam como preferência declarada os sabores de frutos vermelhos e de dois crocantes. No segundo, é a mistura de massa tradicional e de chocolate, para além das natas e dos dois itens crocantes que inspiram o título – em versão de caramelo e chocolate –, que fazem a alegria dos comensais.

“Criou-se um nome e é uma coisa diferente do que existe na Marinha Grande. Não há nada parecido por aqui”, conta o proprietário que é também o pasteleiro oficial da casa, ao dar pistas do porquê do sucesso. 

Nascido no Louriçal, em Pombal, Nelson decidiu enveredar pelo projeto próprio após trabalhar por nove anos numa famosa pastelaria de Leiria e acumular 27 anos de experiência só no ramo da pastelaria.

A bagagem de sabores deu segurança para assumir a marca que em pouco tempo se estabeleceu no concelho da Marinha Grande, mas também para inspirar mudanças. Em breve novos preparos devem somar à montra que já serve, por si só, de ementa, apesar de ser possível encontrar, fixado na parede, a lista com os produtos que predominam na confeção. Comum mesmo é observar a clientela afluir ao espaço de poucas mesas, encantar-se pelo que vê e tomar decisões ainda de pé. E a origem é variada. “Muita gente vinda de fora”, garante o empresário que já se habituou à rotina de 12 horas seguidas de trabalho, exigência de maior parte das cozinhas. “De Coimbra, Leiria, Monte Redondo, Monte Real”, lista.

As novidades de doçaria também devem acompanhar outras alterações formais. Embora esteja consciente de que a transição de gestão deva ser suave, a fim de preservar o património açucarado que se construiu à beira da estrada, Nelson defende que a morada ganhe um novo nome. Casa Doce Dias deve ser o tratamento futuro para quem quiser encontrar um pão d’água, uma tartelete de framboesa com massa choux ou apenas tomar um café ao meio da manhã ou da tarde.

A Casa do Barroquinho

244 561 301
Rua dos Francos, nº 122, Amieira, Marinha Grande
De segunda a sábado, das 7h às 20h, e aos domingos a partir das 8h

 

Jessica Germano
Jornalista
jessica.m.germano@regiaodeleiria.pt

Fotos: Joaquim Dâmaso

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Primeira Página

Publicidade

Pergunta da Semana

A carregar

A restrição do horário dos bares em Leiria é suficiente para resolver os problemas do ruído?

Obrigado pelo seu voto!
Já votou nesta pergunta!
Selecione uma das opções!

Newsletter Região de Leiria

app repórter no mundo

Share This