Select Page

Nicolau Santos e António Costa falam sobre cortes na Lusa

Presidente do conselho de administração da Lusa e o primeiro-ministro hoje na Marinha Grande Foto: Joaquim Dâmaso

O presidente do conselho de administração da Lusa e o primeiro-ministro falaram durante breves minutos sobre a situação financeira da agência portuguesa de notícias esta quarta-feira, 24, antes da apresentação dos resultados do primeiro concurso do “Novo Sistema de Incentivos à Inovação”, na Marinha Grande.

A conversa entre António Costa e Nicolau Santos aconteceu após o presidente da Lusa ter afirmado, na terça-feira, que o corte de 463 mil euros no orçamento da agência é “incongruente”, por ameaçar o seu funcionamento, anunciando que não o iria cumprir, sujeitando-se às consequências.

“Se não houver qualquer evolução nesta decisão, é evidente que pela primeira vez em duas décadas a Lusa não cumprirá o plano de atividades e orçamento, sujeitando-se o presidente do conselho de administração às respetivas consequências”, refere um comunicado assinado por Nicolau Santos.

O plano de atividades e orçamento da agência de notícias foi aprovado na sexta-feira, 19, pelos seus acionistas, o maior dos quais o Estado (50,14%), reunidos em assembleia-geral.

Após o breve diálogo com António Costa – em que argumentou contra a decisão dos acionistas – Nicolau Santos moderou a apresentação dos resultados do “Novo Sistema de Incentivos à Inovação”, com a presença dos ministros da Economia e do Planeamento, CEO do Grupo WeMold (que integra a Tecnifreza, onde decorreu a cerimónia) e o CEO do Millennium BCP.

Recorde-se que o Presidente da República afirmou, na emissão especial da Renascença deste ano para assinalar os 45 anos da Revolução de Abril, que “não há jornalismo livre se a comunicação social não tiver a situação económica e financeira estável, porque uma situação instável dá instabilidade e precariedade a tudo”. “Em relação aos trabalhadores da comunicação social, é muito difícil num clima de precariedade fazer um jornalismo livre e forte”, adiantou Marcelo Rebelo de Sousa.

O primeiro-ministro, António Costa, também reconheceu, em abril do ano passado, durante abertura do Festival Visão 25 Anos, que a fragilidade financeira dos órgãos de comunicação social, a limitação da dimensão das redações e “a precariedade nas relações de trabalho no jornalismo enfraquecem a qualidade da comunicação social e são uma ameaça séria a termos uma democracia bem informada”.

Carlos Ferreira
Jornalista
redacao@regiaodeleiria.pt

Joaquim Dâmaso (fotos)
Jornalista
joaquim.damaso@regiaodeleiria.pt

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Primeira Página

Publicidade

Pergunta da Semana

A carregar

Concorda com a mudança de nome do Estádio de Alvalade para Estádio Cristiano Ronaldo?

Obrigado pelo seu voto!
Já votou nesta pergunta!
Selecione uma das opções!

Publicidade

Newsletter Região de Leiria

app repórter no mundo

Share This