Os restantes candidatos do PS por Leiria subiram ao palco no final das intervenções

António Costa, secretário-geral do PS, admitiu esta quinta-feira, em Leiria, que a abertura da Base Aérea de Monte Real à aviação civil é “algo justo, que é necessário e que faz sentido”. E por isso tem acompanhado o “trabalho de formiguinha” que tem sido desenvolvido para “ir identificando problemas, encontrando soluções e procurando sempre alternativas” para permitir que “seja possível o tráfego civil para servir Leiria e esta região” na BA5.

O líder socialista, que participou no comício de apresentação da lista do PS à Assembleia da República por Leiria, no Mercado de Santana, reconheceu a importância deste projeto para o distrito, indo ao encontro das prioridades elencadas e reivindicadas há muito por Raul Castro, cabeça-de-lista, quando presidiu à Câmara de Leiria.

António Costa assumiu ainda como” missão” do próximo Governo PS a requalificação da Linha do Oeste, entre as Caldas da Rainha e Figueira da Foz, realçando que se deve ao atual Governo os concursos para a eletrificação da Linha até Caldas da Rainha.

António Costa, que já foi cabeça-de-lista por Leiria em 2002, lamentou que quando chegou ao governo, 13 anos depois, “várias das grandes causas e grandes bandeiras deste distrito estavam exatamente na mesma”.

E falou do exemplo que é o Politécnico de Leiria “para todo o país” e da necessidade de “acabar com a discriminação inaceitável entre os politécnicos e as universidades”, estando aqueles “privados de atribuir o grau de doutor”.

“Seja universidade, seja politécnico, desde que cumpram os requisitos, devem poder atribuir o grau de doutor e eu estou certo que o primeiro politécnico a atribuir o grau de doutor vai ser o Politécnico de Leiria”, defendeu.

Elogiando o trabalho realizado por Raul Castro enquanto autarca nas Câmaras de Leiria e da Batalha, António Costa realçou ser uma “enorme honra” para o PS ter um “cidadão independente” a encabeçar a lista em Leiria.

“Temos muito orgulho no nosso partido e nos nossos militantes. Mas, o PS sabe desde a sua fundação, porque está no seu ADN e no grande legado que nos deixou Mário Soares que nunca se faz nada sozinho. O PS sempre foi um partido aberto aos outros, um partido do consenso, que procura construir pontes e unir vontades e mobilizar energias”, disse.

Assumindo a sua condição de “independente orgulhosamente comprometido com o PS” e “orgulhosamente independente”, Raul Castro lembrou ser esta a primeira vez, em Leiria, que um partido apresenta um autarca como cabeça-de-lista às Legislativas e prometeu “empenho na defesa dos interesses e das expectativas dos eleitores do distrito de Leiria”.

Quanto às principais bandeiras para Leiria, acrescentou às já referidas “a questão ambiental”, garantindo manter-se atento e acompanhar a trabalho da AdP Energia na definição de soluções para a despoluição da Bacia Hidrográfica do Lis e “para que seja o próximo governo a resolver de vez os graves problemas de poluição existentes no distrito”.

Cerca de 400 militantes e apoiantes do PS marcaram presença na quinta-feira à noite, no Mercado de Santana, no comício a que presidiu o secretário-geral do partido

Raul Castrou apelou aos eleitores  para não ficarem em casa no dia 6 de outubro, independentemente do sentido de voto. “Votem em que acreditam, mas votem. Não deixem que sejam os outros a escolher”, reforçou

António Costa fez um balanço dos últimos quatro anos de governação socialista  e apelou à mobilização dos portugueses para “dar força ao PS para poder fazer ainda mais e melhor”

“Aqueles que há quatro anos tiveram receio em votar no PS sabem hoje que podem votar no PS com toda a confiança e com toda a convicção”, defendeu António Costa em Leiria

Martine Rainho
Jornalista
martine.rainho@regiaodeleiria.pt

Joaquim Dâmaso
Fotójornalista
joaquim.damaso@regiaodeleiria.pt