Select Page

“Plasticidade”. Mais um prémio internacional para o Museu de Leiria

A exposição está patente até dezembro de 2020 Fotos: Joaquim Dâmaso

A exposição “Plasticidade – Uma história dos plásticos em Portugal”, patente no Museu de Leiria, foi distinguida com o Prémio Dibner, atribuído às melhores exposições mundiais, anunciou a Society for the History of Technology (SHT).

A SHT, sociedade internacional para a história da tecnologia, considerou “Plasticidade” o melhor trabalho de 2019 a comunicar com o público, atribuindo pela segunda vez o Prémio Dibner a distinção a uma exposição portuguesa.

“Plasticidade – Uma história dos plásticos em Portugal” aborda desde a importância histórica do plástico às repercussões científicas, sociais, artísticas, económicas, tecnológicas e ambientais do seu uso na sociedade contemporânea.

Os conteúdos apresentados na exposição resultam de um vasto processo colaborativo que envolveu a comunidade da região de Leiria, território pioneiro na indústria transformadora de plástico em Portugal. E mostram como o plástico revolucionou a vida quotidiana ao longo do último século: das embalagens às próteses, passando pelos têxteis, materiais de construção, móveis, tintas, automóveis ou computadores, está em todo o lado.

Inaugurada em abril deste ano, “Plasticidade” apresenta no Museu de Leiria fotografias, objetos, máquinas, documentação e registos orais das memórias dos trabalhadores. Muito do espólio foi cedido por particulares, museus, centros de investigação e empresas transformadoras de plástico.

A exposição resulta da parceria entre o Museu de Leiria, o município de Leiria e o projeto de investigação “O Triunfo da Baquelite – Contributos para uma história dos plásticos em Portugal”, desenvolvido no Centro Interuniversitário de História das Ciências e da Tecnologia e financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia.

O prémio Dibner foi instituído em 1985, por iniciativa do engenheiro, industrial e historiador norte-americano Bern Dibner, para distinguir museus e exposições que melhor comuniquem ao público a história da tecnologia, indústria e engenharia.

Desde a fundação já foi atribuído a instituições como o Instituto Smithsonian, Museu Nacional de História Natural e Museu Henry Ford, nos Estado Unidos da América, Museu da Ciência e da Indústria de Manchester, Museu de Londres e Observatório Real de Greenwich, no Reino Unido, Museu Powerhouse, na Austrália, e Museu da Medicina, na Dinamarca. Em 2018 foi entregue ao Museu Finlandês dos Jogos.

É a segunda vez na história que o Dibner vem para Portugal. Em 2003, o prémio foi para “Engenho e Obra – Engenharia portuguesa no século XX”, trabalho do Centro de Estudos em Inovação, Tecnologia e Políticas de Desenvolvimento do Instituto Superior Técnico, IN+, em colaboração com o Instituto de História Contemporânea da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, exposição então coordenada pelo atual ministro do Ensino Superior, Manuel Heitor.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Primeira Página

Pergunta da Semana

A carregar

Concorda que a Agência Mundial Antidopagem tenha proibido a Rússia, durante quatro anos, de participar em todas as competições desportivas globais?

Obrigado pelo seu voto!
Já votou nesta pergunta!
Selecione uma das opções!

Publicidade

Newsletter Região de Leiria

app repórter no mundo