Cruzeiro foi erguido na Senhora do Monte a 24 de setembro de 1919 Fotos: Fernando Rodrigues

Está na localidade de Cortes o primeiro monumento erguido em Portugal, em memória dos soldados da Primeira Grande Guerra. O cruzeiro da Senhora do Monte foi construído há 100 anos, mais precisamente a 24 de setembro de 1919, por iniciativa de combatentes naturais das Cortes e do padre António dos Santos Alves, que era, então, responsável por aquela paróquia.

Hoje, 10 de novembro, decorreu junto ao cruzeiro uma cerimónia evocativa do centenário daquele que “é um dos monumentos mais significativos da memória daquele conflito, mas que é também um dos mais ignorados”, segundo Carlos Fernandes, autor da resenha histórica apresentada na cerimónia.

Participaram na homenagem José Cunha, presidente da União de Freguesias de Leiria, Pousos, Barreira e Cortes, Joaquim Chito Rodrigues, presidente da Liga dos Combatentes, um elemento da Liga dos Combatentes de Angola e membros dos Núcleos da Batalha e de Leiria da Liga.

A cerimónia incluiu a celebração de uma missa na igreja das Cortes, em memória dos combatentes falecidos, e uma homenagem junto ao cruzeiro.

Carlos Fernandes sublinhou que o espaço onde se encontra o monumento merece mais respeito, apesar das obras recentes de que foi alvo, e que a zona envolvente deveria ser embelezada, O presidente da Liga manifestou dúvidas quanto ao futuro do monumento e questionou se, quando forem assinalados os 200 anos, o cruzeiro ainda ali estará e se a memória dos combatentes ainda será lembrada.

Joaquim Chito Rodrigues lembrou que existem no país 364 monumentos dedicados aos combatentes mas receia pela sua preservação no futuro.

Junto ao monumento foi descerrada a placa com a inscrição “À memória dos soldados da freguesia das Cortes Mortos em França, na 1.ª Grande Guerra 1914-1918”, restaurada por iniciativa da União de Freguesias e do Núcleo de Leiria da Liga dos Combatentes. A cerimónia contou ainda com a atuação da Filarmónica das Cortes.