A derrota por 0-2 não espelha o que aconteceu em campo. O At. Marinhense recebeu esta noite o Rio Ave FC no estádio municipal da Marinha Grande, em jogo a contar para a Taça de Portugal e não se intimidou com o adversário da I Liga, dois escalões acima do campeonato onde o grupo orientado por Andrés Madrid atua. Sétimo classificado da série C do Campeonato de Portugal, o At. Marinhense bateu-se bem no campo e jogou de igual para igual com 30 primeiros minutos de altíssimo nível. O primeiro golo, aos 32 minutos, surge numa falta que parecia quase inofensiva, no meio campo, mas Diego Lopes bate o livre e, na área, encontra Tarantini que, de cabeça, inaugura o marcador. O At. Marinhense não quebrou e foi atrás do prejuízo, obrigando o guarda-redes vilacondense Paulo Vítor a evitar, por mais do que uma vez, “surpresas” na prova rainha. Com a chuva a marcar o regresso dos balneários, o jogo perdeu velocidade e o At. Marinhense começou a falhar passes e marcações e a reduzir a pressão sobre o adversário. O Rio Ave teve uma excelente oportunidade para decidir a eliminatória, de grande penalidade, aos 60 minutos, mas Nuno Santos, recém-entrado na partida, permitiu a defesa do guardião da Portela, Mosquera, que adivinhou o lado para onde foi a bola. Nos instantes finais do encontro, sem a energia que apresentou no primeiro tempo, o At. Marinhense não conseguiu resistir e sofreu o segundo golo (89 minutos) com Nuno Santos a isolar Roman que não desperdiçou a oportunidade para decidir a eliminatória. O At. Marinhense era a única equipa da região ainda na Taça de Portugal e é eliminado nos oitavos de final, sem sofrer golos na competição. Na primeira eliminatória o jogo com o CD Fátima terminou 0-0 (1-4, nas grandes penalidades).  Foi repescado, venceu o Montalegre por 0-1, derrotou o CD Fátima (1-0) e o Sintra Football (0-2). MG