Há três anos Marília Monteiro já liderava o próprio negócio na restauração, mas a inquietude não lhe permitiu ficar acomodada. “A parte da tasca já era um sonho há algum tempo”, revela a empreendedora sobre o projeto que abriu as portas a 7 de dezembro e ganhou o título de Bucha, tal como o significado gastronómico. É que ali a refeição pode ser ligeira ao almoço, com as diárias sempre durante a semana, mas pode caber também em versão de bocados, com os petiscos na parte da noite.

A ideia, conta a empresária e chef, é “dar as pessoas a conhecerem a zona” de Pataias, local onde nasceu e cresceu. “Queremos que as pessoas fiquem na terra”, almeja, enquanto se divide entre os afazeres da primeira empresa – especializada em marmitas – e o funcionamento do restaurante que resulta de sua própria experiência com as panelas. “Eu cozinhava já com as minhas avós” diz, a propósito do dom que viu brotar do próprio ADN e aflorou por meio de alguns workshops e muita pesquisa. “São muitos anos de investimento em restaurantes. Se abre um novo, eu vou lá”, enfatiza Marília, deixando mais à mostra o lado proativo.

Na criação dos sabores a confeção tem regra simples: “Eu sirvo mais ou menos o que me apetece comer”, assume, cheia de personalidade. “É o que está no talho. É o achado fresco”. Por isso, a cada semana é divulgada uma ementa que fica responsável por compor os menus de sopa, bebida e café, a 9 euros. Enquanto isso, na ementa fixa os pratos têm dialeto próprio. Os Pitéus guardam as receitas para tapear, do tipo camarão frito com alho e moelas. “Tentamos ir às origens da terra e também trazer o que há nas cidades para a vila”, explica a cozinheira.

No final da refeição, as “Gordeirices” anunciam que as sobremesas são mutantes, a depender da criatividade da chef. E lá está a parte inquieta de Marília, outra vez. “Não gosto de cozinhar muitas vezes a mesma coisa”, justifica, lembrando que os chocos fritos, por exemplo, podem vir com açorda, mas também com arroz de tomate.

Bucha, Tapas & Wine

 916 485 619
Praça Comendador Joaquim Matias, nº 34, Pataias
Funcionamento: De segunda a sexta, das 12h30 às 15h, e de quarta a sábado também das 17h às 00h
Preço médio: 10-15 euros
Reserva para grupos: Até 20 pessoas

 

Jessica Germano
Jornalista
jessica.m.germano@regiaodeleiria.pt