Os aviões de combate F-16 estacionados na Base Aérea de Monte Real (BA5), no concelho de Leiria, registaram no ano passado “mais de 518 horas de voo de vigilância do espaço aéreo”, revelou a Força Aérea Portuguesa (FAP) na terça-feira, dia 31 de dezembro.

Num balanço da atividade realizada em 2019, a FAP adianta que o número de horas, correspondente a mais de 21 dias completos, foi ocupado em “missões reais e de treino”. No total, são o equivalente a 140 missões realizadas a partir da BA5.

Os primeiros quatro F-16OCU, de uma frota de 20, chegaram a Monte Real em julho de 1994, passando então a FAP “a dispor de uma aeronave moderna e com capacidades adequadas à missão da defesa aérea de Portugal”, como explica o site da unidade militar.

“Em virtude da necessidade de revitalizar e de atualizar a aviação de combate da FAP, foi decidido em 1998 complementar a primeira frota de F-16OCU com mais 20 aviões e atualizar os 40 para o padrão Mid Life Update (MLU)”.

Através da lei de programação militar de 2006 foi decidido alienar 10 dos 40 F-16MLU, pelo que a frota da FAP se encontra agora adaptada a operar 30 destas aeronaves, através das esquadras 201 “Falcões” e 301 “Jaguares”.

Em termos globais, a FAP transportou, em 2019, mais de 650 doentes e salvou 26 vidas em alto mar, tendo contabilizado 876 horas de voo para o transporte urgente de doentes.