Assinar Edições Digitais
Batalha

Médicos e enfermeiros vão às freguesias de Leiria e Batalha falar de AVC

Capacitar a população para reconhecer sinais de alerta e intervir perante um AVC é um dos propósitos da Associação Portuguesa de AVC, que irá este ano percorrer as freguesias dos concelhos de Leiria e da Batalha com ações de sensibilização.

Em 2019, a associação realizou 210 ações de prevenção e formação sobre AVC e mais de 9.000 exames
Foto: Associação Portuguesa de AVC

Capacitar a população para os fatores de risco do acidente vascular cerebral (AVC) e alertar para as suas consequências continua a ser o propósito da Associação Portuguesa de AVC, que lançou este mês, em Leiria e concelhos vizinhos, um novo programa de educação para a Saúde, em várias frentes.

Além das ações mensais de clínica preventiva com realização de rastreios, avaliações de risco e acompanhamento regular dos utentes, dezenas de profissionais de saúde voluntários desdobram-se para informar e formar a população em geral, jovens do ensino secundário e bombeiros para a prevenção de doenças cardiovasculares e atuação perante casos de AVC.

“Prevenir, reconhecer e agir perante um AVC” é o mote do programa destinado à população que arrancou no passado sábado na freguesia do Arrabal e irá percorrer 26 freguesias dos concelhos de Leiria e Batalha até outubro. Esta semana, estão agendadas novas sessões nas Juntas da Batalha (sexta-geira, dia 24, às 19 horas) e de Amor (sábado, dia 25, às 17 horas).

Além de dar a conhecer os sinais de alerta de um AVC – fraqueza facial, fraqueza nos braços, fraqueza nas pernas, perda de visão ou problemas na fala -, de abordar os principais fatores de risco (hipertensão, tabagismo, obesidade, maus hábitos alimentares, colesterol elevado, entre outros) e de sensibilizar para a adoção de hábitos saudáveis, os formadores irão explicar o que uma pessoa deve fazer se sentir algum daqueles sintomas e como atuar para ajudar alguém que sofra um AVC.

Já na Escola Secundária Francisco Rodrigues Lobo, e depois de, no ano passado, ter atuado nas secundárias Afonso Lopes Vieira e Domingos Sequeira, a associação, com sede em Leiria, tem procurado, num primeira fase, sensibilizar os alunos para a adoção de estilos de vida saudáveis e capacitá-los para saberem o que fazer perante um caso de AVC. As sessões decorrem este mês e irão abranger 24 turmas.

Numa segunda fase, os mesmos alunos irão ouvir falar de nutrição, da importância de uma alimentação saudável e dos benefícios da dieta mediterrânica.

Ao REGIÃO DE LEIRIA, Fernando Venâncio, presidente da associação, explica que qualquer das áreas abordadas está sujeita a inquérito para investigação sendo objetivo perceber o grau de conhecimentos dos formandos antes e depois das ações.

“Reconhecer, capacitar e agir” norteia por sua vez o programa de formação dos bombeiros, para que possam avaliar o estado do doentes e prestar os primeiros socorros até à chegada de uma equipa médica de emergência ou transporte para o hospital. Este an,o serão abrangidos oito corporações de bombeiros da região.

Já as ações de clínica preventiva dos fatores de risco cardiovasculares prosseguem mensalmente: na zona desportiva da Batalha e na sede da associação, na rua das Olhavas, Leiria, no segundo domingo de cada mês; e no Intermarché de Ourém e na Junta de Freguesia de Pombal, no último domingo de cada mês.

(Notícia publicada na edição de 16 de janeiro de 2020 e editada)

MR

Sensibilização nas freguesias

A Associação Portuguesa de AVC programou 26 ações de educação para a Saúde destinadas à população das freguesias dos concelhos de Leiria e da Batalha. O plano, que decorre até outubro, arrancou no passado sábado na Junta do Arrabal. Em janeiro, haverá ainda sessões nas juntas da Batalha (dia 24, às 19 horas) e de Amor (dia 25, às 17 horas). Em fevereiro, as populações de Bidoeira e de Bajouca estão convidadas a participar nas sessões agendadas para os dias 2 e 16, respetivamente.

Prevenção nas escolas

As equipas de profissionais voluntários da associação regressaram este ano à Secundária Francisco Rodrigues Lobo com o objetivo de ajudar os jovens a reconhecerem sinais de alerta em caso de AVC e agirem. O projeto arrancou no dia 7 e prossegue até final do mês com três sessões por semana. Numa segunda fase, a intervenção incidirá sobre nutrição e dieta mediterrânica.

Formar bombeiros

Transmitir aos bombeiros conhecimentos necessários para socorrer pessoas que sofram um AVC é o objetivo do plano de ação que arranca dia 25, no quartel dos bombeiros da Marinha Grande. Seguem-se formações aos bombeiros de Maceira e Pataias (fevereiro), Porto de Mós (março), Batalha (abril), Alcobaça (maio), Vieira de Leiria (setembro) e Juncal (novembro).