Assinar Edições Digitais

Recolha seletiva na região bateu todos os recordes em 2019

O ano passado foram batidos todos os recordes de recolha seletiva de resíduos urbanos na área de ação da Valorlis, revelou hoje a empresa. Em relação a 2018, a separação nos ecopontos aumentou 17%.

O ano passado foram batidos todos os recordes de recolha seletiva de resíduos urbanos na área de ação da Valorlis, revelou hoje a empresa. Em relação a 2018, a separação nos ecopontos aumentou 17%.

“A Valorlis terminou 2019 com o valor mais elevado de sempre na recolha seletiva de resíduos urbanos”, revelou hoje a empresa que gere a recolha seletiva e o tratamento de resíduos urbanos dos municípios de Batalha, Leiria, Marinha Grande, Ourém, Pombal e Porto de Mós.

Segundo a empresa, foram enviados para reciclagem um total de 12.460 toneladas de resíduos: 4.865 toneladas de vidro, 5.377 toneladas de papel/cartão e 2.218 toneladas de embalagens de plástico e metal. Na prática, em relação ao ano anterior, 2018, “a separação nos ecopontos aumentou 17%”, aponta a Valorlis.

A separação nos ecopontos de plástico e metal foi a que registou um crescimento mais acentuado, com um aumento de 19% em relação a 2018. A separação de vidro cresceu 16% e a de papel/cartão cresceu 15%.

Pelas contas da empresa, o esforço de recolha seletiva, o ano passado “resultou na poupança de 80 mil árvores” e em metal “que permite fabricar mais de 11,4 milhões de latas de 0,33 litros” e em “plástico suficiente para produzir mais de 1,8 milhões de t-shirts XL”. Já a quantidade de vidro separada “permite produzir cerca de 13,9 milhões de garrafas de 0,75 litros”.

“Esta melhoria deve-se a uma maior consciência ambiental da população, aliada a um forte investimento em novos ecopontos, diferentes tipologias de contentores, viaturas e a campanhas de sensibilização para a correta separação que a Valorlis têm vindo a desenvolver em conjunto com os municípios”, aponta Marta Guerreiro, administradora delegada da Valorlis.