Dois estabelecimentos de diversão noturna, áreas residenciais e viaturas das zonas da Batalha e de Oliveira de Frades foram objeto de buscas por parte do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) no passado domingo.

No decorrer da operação, relacionada com a prática dos crimes de auxílio à imigração ilegal, lenocínio e utilização da atividade de cidadãos estrangeiros em situação ilegal, três cidadãos  nacionais foram constituídos arguidos.

O SEF adianta em comunicado ter identificado ainda 50 cidadãos, 20 dos quais de nacionalidade estrangeira, designadamente da América do Sul.

“Cinco cidadãos encontravam-se em situação documental irregular em território nacional, tendo dois sido notificados para abandono voluntário, no prazo de vinte dias, sob pena de, em caso de incumprimento, serem detidos e objeto de procedimento de afastamento coercivo”. Os restantes foram notificados para se dirigirem ao SEF, uma vez que tinham os processos de regularização em curso, acrescenta aquela força policial.

No total, foram executados 10 mandados no âmbito de investigações coordenadas pelo Ministério Público, que levaram ainda à apreensão de “vários documentos e objetos associados à prática dos crimes em investigação, nomeadamente relacionados com a exploração da prostituição”, cerca de nove mil euros e uma arma proibida.

Foram ainda instaurados processos de contraordenação aos estabelecimentos alvo de buscas, pela utilização da atividade de cidadão estrangeiros em situação ilegal, acrescenta o SEF, que mobilizou para esta operação cerca de duas dezenas de operacionais.