Assinar Edições Digitais
Região à Mesa

Taberna da Praia tem rede cheia o ano inteiro

De frente para o mar da Nazaré, o restaurante com ambiente moderno convida para os sabores que deram fama à vila e também ao peixe recém pescado, tratado pela primazia da experiência.

Mexilhões da Taberna da Praia

De frente para o mar da Nazaré, o restaurante com ambiente moderno convida para os sabores que deram fama à vila e também ao peixe recém pescado, tratado pela primazia da experiência

No espaço onde abunda a decoração em branco, com toques de azul, o peixe sempre foi a estrela, embora o conceito tenha passado por alguma transição desde que abriu portas, em maio de 2018. Inicialmente pensada para abrigar diferentes confeções de pescado, a Taberna da Praia acabou por render-se à procura da clientela: um bom peixe grelhado ou frito. A regra maior, todavia, manteve-se no centro do negócio – e também no logótipo: “Essencialmente peixe fresco”, lembra Marco Martins, que, ao lado do cunhado, Dário Eustáquio, faz a dupla de gerência à frente do restaurante, um espaço que é um verdadeiro camarote para a Praia da Nazaré.

E não se deixe enganar pelo nome. De tradicional e simplório, pouco tem o “ambiente de praia” que foi pensado tanto para atrair o turista de chinelos, quanto os locais que reservam tempo para um jantar mais cuidado. Um público diversificado, “ainda bem”, comemora Marco. A ideia, conta, sempre foi ir ao encontro “de todos os tipos” de clientes e isso mostra bem o movimento da sala que esteve cheia por duas vezes na noite da passagem de ano.

A história mostra que, desde sempre, o negócio prosperou em família. Filho de Frederico Garcia, empresário durante 40 anos de um forte exemplar da restauração na mesma vila, Marco soube deste ponto comercial na marginal da Nazaré pela voz do patriarca. A veia empreendedora falou mais alto e hoje a casa segue os próprios passos, sem deixar de lado o auxílio da tradição. “Ele fechou o restaurante para vir para aqui ter connosco”, conta o herdeiro, dando a saber que é o modo de preparo do pai que garante a entrega de qualidade à mesa. “O peixe da Nazaré é muito bom, mas se for maltratado…”, assinala a atenção para o cuidado, em cada uma das etapas.

Dário Eustáquio e Marco Martins são os responsáveis pela casa à beira-mar Fotos: Visitfoods e JG

O trabalho junto aos fornecedores não é diferente e por isso mantêm o contacto com “todos os que existem”. Uma vez comprometidos a ter um bom produto, Dário lembra que o essencial é garantir que haja oferta para a boa safra, oriunda, sobretudo, do mar ali da frente, mas também de Peniche e dos Açores.

A variedade também existe e fica visível logo à chegada, na montra da sala: dourada, sardo, carapau, príncipe, … O mais escolhido, porém, “continua a ser o robalo”, informa Marco, antes de acrescentar que, sempre que tem a oportunidade, tenta fazer novas sugestões aos clientes. “Tem tudo a ver a com a perceção da pessoa”, explica o gerente. “A dourada é um peixe seguro, que todo mundo conhece. O pregado é mais caro, mas também é melhor”, explica Marco Martins.

Enquanto a ementa do dia fica à mostra, o cardápio impresso guarda os preparos clássicos: arroz de tamboril e a cataplana de peixe têm presença garantida. Antes desses, fazem sucesso o polvo assado e o atum braseado, alternativas e eleição dos estrangeiros, que “gostam muito do peixe sem espinha”, revelam os gerentes. Testemunhas do crescimento e das mudanças pelas quais passou a Nazaré nas últimas décadas, os três brindam ao novo ano com otimismo. “Melhorou o cliente e melhorou o serviço também para o acompanhar”, avalia Marco, consciente de que o bom panorama da restauração é também fruto da nova geração de liderança das casas.

Taberna da Praia

928 053 261
Avenida da República, n° 28, Nazaré
Funcionamento: Das 12 às 15 horas e das 19 às 22 horas. Encerra às quartas
Preço médio: 25 euros
Reserva para grupos: Até 62 pessoas com serviço à carta

 

Jessica Germano
Jornalista
jessica.m.germano@regiaodeleiria.pt