Martine Rainho, jornalista do REGIÃO DE LEIRIA, foi distinguida, esta segunda-feira, com o Prémio de Jornalismo “Direitos Humanos & Integração”, na categoria Imprensa Regional, pelo artigo “Ativismo – Direitos Humanos: uma questão de educação”, publicado a 13 de dezembro de 2018.

O trabalho aborda a educação para os direitos humanos, explicados a crianças e jovens mas também junto da comunidade onde o Grupo 32/Leiria da Amnistia Internacional atua.

O REGIÃO DE LEIRIA venceu na categoria de Comunicação Social Regional e Local.

Na categoria Imprensa Escrita, a jornalista Céu Neves, do Diário de Notícias, venceu com a reportagem “Uma nova vida longe, cá, após perder tudo (ou quase)”, tal como Maria João Guimarães, jornalista do Público, que também foi premiada com o trabalho “Uma geração a tentar sair de Gaza para dizer: “Sou de Gaza””. Isabel Meira, da Antena 1, conquistou o prémio na categoria Rádio, com o trabalho “Zohra – Uma Partitura para a Liberdade”.

Na categoria Meios Audiovisuais, “Pareciam foguetes de lágrimas”, de Raquel Moleiro, Tiago Miranda, João Santos Duarte e Tiago Pereira Santos, do Expresso, e “Ensaio sobre a saúde na Guiné-Bissau”, de Dulce Salzedas, Rafael Homem e Luís Gonçalves, da SIC, foram os vencedores.

O Prémio de Jornalismo Direitos Humanos & Integração é uma iniciativa conjunta da Secretaria Geral da Presidência do Conselho de Ministros e da Comissão Nacional da UNESCO, que tem por objetivo reconhecer o trabalho desenvolvido por profissionais de comunicação social, a nível nacional, em prol dos direitos humanos e das liberdades fundamentais.

A cerimónia de entrega dos Prémios decorreu no Teatro D. Maria II, no Rossio, em Lisboa, e contou com a presença do Secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros, André Moz Caldas, e do Secretário de Estado do Cinema, Audiovisual e Media, Nuno Artur Silva.

Em anteriores edições, a jornalista Martine Rainho foi igualmente premiada na categoria regional (2014 e em 2017, em ex aequo com o jornalista Paulo Barriga, Diário do Alentejo). Já em 2016, o trabalho “Centro de acolhimento de Leiria – O último refúgio é muito mais do que uma sopa quente”, de Martine Rainho e Joaquim Dâmaso, venceu na categoria de imprensa nacional e regional.

Fotos: Joaquim Dâmaso

(Artigo atualizado às 22h25, com a informação dos restantes premiados)