Select Page

O rasto do novo coronavírus: da China para o mundo, de Leiria até Macau

Macau não está isolado, mas o cerco aperta-se dia após dia. O alerta causado pelo coronavírus está a deixar a capital do jogo deserta, cenário que não é normal para os leirienses que vivem no território

O coronavírus chinês acabou quase de um dia para o outro com as multidões, tão familiares naquela que é a capital do jogo mundial e que recebe quase 40 milhões de turistas  por ano, mais de três milhões de visitantes por mês, mais de 100 mil pessoas a entrar todos os dias naquele que é um dos territórios mais densamente povoados do mundo.

É, portanto, compreensível a estranheza de Sofia Mota, há anos a viver em Macau. “Para nós, que estamos sempre a queixarmo-nos das multidões, é muito triste ver esta cidade sem gente”, tenta resumir.

A ameaça global que abala o mundo e o drama visto por leirienses na China está no trabalho de abertura da edição desta semana do REGIÃO DE LEIRIA. Já disponíveis nas bancas e aqui na loja online.

João Carreira
Jornalista da Agência Lusa
redacao@regiaodeleiria.pt

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Primeira Página

Pergunta da Semana

A carregar

É possível acabar com as manifestações de racismo nos estádios de futebol?

Obrigado pelo seu voto!
Já votou nesta pergunta!
Selecione uma das opções!

Publicidade

Newsletter Região de Leiria

app repórter no mundo