A Comissão Distrital de Proteção Civil de Leiria decidiu, esta sexta-feira, ativar o Plano Distrital de Emergência e Proteção Civil.

A medida foi determinada em reunião da comissão, hoje, e decorre do “evoluir da situação relacionado com episódios de Covid-19”, revela em comunicado o presidente daquela entidade, Gonçalo Lopes.

A ativação do plano visa “assegurar uma efetiva intervenção e coordenação ao nível da informação através do CDOS de Leiria”, bem como “acompanhar as decisões dos municípios de acordo com a evolução de ocorrências (casos confirmados, número de óbitos, recuperados, suspeitos) e criar uma linha de comunicação com os municípios para disponibilizar informação relevante”, adianta o comunicado.

Passa a ser igualmente criado “um processo de informação e georreferenciação de todos os casos identificados e validados”.

A ativação do plano visa ainda permitir “proceder a um levantamento de necessidades e existências de equipamentos de proteção civil para responder às necessidades”.

No comunicado é indicado que a comissão pode ainda “recomendar” aos presidentes de câmara, “o acionamento dos Planos Municipais de Emergência” quando se verificar “morte” ou “cadeias de transmissão ativas” de Covid-19.

Região de Leiria com apoios para os mais desfavorecidos

Entretanto, todos os municípios que integram a Comunidade Intermunicipal da Região de Leiria (CIMRL) estão a desenvolver “as necessárias ações junto dos grupos mais vulneráveis” para dar resposta à pandemia da covid-19, anunciou hoje aquele organismo.

Após uma reunião extraordinária, as Câmaras de Alvaiázere, Ansião, Batalha, Castanheira de Pera, Figueiró dos Vinhos, Leiria, Marinha Grande, Pedrógão Grande, Pombal e Porto de Mós, comprometeram-se a “acompanhar de forma efetiva e proativa os casos que possam surgir, identificando cadeias de transmissão do vírus, para uma maior e mais eficaz facilidade de atuação”.

“Os Municípios da Região de Leiria estão articulados no combate a este flagelo e, perante o risco atual, estão mobilizados para o desenvolvimento de campanhas de sensibilização, para implementar medidas de prevenção primária adequadas ao nível de risco de doença”, refere a CIMRL numa nota de imprensa.