A Câmara da Marinha Grande quer criar um espaço de acolhimento temporário, no Parque Municipal de Exposições. O espaço destina-se ao apoio “à população e aos profissionais de saúde”.

O espaço de acolhimento integra o lote de medidas para travar o surto de Covid-19 que a presidente do município, Cidália Ferreira, enunciou ao final da noite desde domingo.

No capítulo da saúde pública, uma das “principais preocupações atuais” passa por “criar condições para a implementação de um espaço de triagem, diagnóstico e rastreio de análises”, diz Cidália Ferreira, que refere ainda: “temos estado a estabelecer contactos para criar um centro de rastreio móvel que possa cooperar com o Centro de Saúde”.

Cidália Ferreira anunciou que arranca esta segunda-feira, o processo de desinfeção periódica “dos espaços públicos, em todas as freguesias, nas zonas de maior circulação como centros de saúde, grandes superfícies comerciais, farmácias, bancos, paragens de autocarros e rodoviária”.

Entretanto, o município está apostado em “disponibilizar quartos para os profissionais de saúde que prestam serviços no centro de saúde da Marinha Grande e/ou no Centro Hospitalar de Leiria”, refere a presidente da Câmara da Marinha Grande.

A presidente anunciou, igualmente, que irá propor ao executivo municipal que aprove um pacote de medidas de apoio, que incluem a atribuição “de uma verba até 75 mil euros para apoio ao Centro de Saúde da Marinha Grande, com o objetivo de apoiar na aquisição de equipamentos”, bem assim um apoio aos bombeiros do concelho até ao valor de 80 mil euros.

Descontos temporários de 50 por cento nas faturas de água e a  “isenção do pagamento dos serviços de água e taxas de publicidade, durante os meses de março e abril, a todas as empresas que comprovadamente não tenham despedido, nem terminado contratos de trabalho com os seus colaboradores”, são outras das propostas.

Em cima da mesa está, igualmente, avança a autarca, a “prorrogação por dois meses do pagamento de rendas de habitação social, refeições escolares, contraordenações e coimas”, e ainda a disponibilização de “uma verba extraordinária, até 50 mil euros”, canalizada para as “associações que suspenderam atividades de interesse municipal e que o requeiram”.

A proposta de Cidália Ferreira contempla igualmente a suspensão de taxas dos mercados municipais do concelho de abril até ao final do ano.