A Câmara Municipal de Leiria formalizou junto do Governo a intenção de ficar com as instalações do Instituto da Vinha e do Vinho (IVV), por considerar ser um imóvel de “grande interesse”.

“Trata-se de um imóvel de grande interesse, que será alvo de uma intervenção, de modo a devolver a dignidade ao espaço, garantindo a preservação do património e a convivência harmoniosa entre as funções a que venha a ser alocado e a sua memória”, adiantou o presidente da Câmara, Gonçalo Lopes, citado numa nota de imprensa.

Propriedade do Instituto da Vinha e do Vinho, a autarquia comunicou a sua vontade aos Ministérios de Estado e das Finanças e da Agricultura, que exercem a superintendência e tutela sobre este imóvel, localizado na União de Freguesias de Marrazes e Barosa, próximo da estação de comboios.

Avaliado em 290 mil euros, o Município optou pela solução de transferência de competências, em comparação com a possibilidade de aquisição do mesmo, podendo este valor ser aplicado na reabilitação e refuncionalização das antigas instalações do IVV, refere a nota de imprensa.

Segundo o Município de Leiria, o edifício é composto por um conjunto de edifícios térreos, cuja construção data dos anos 1950, destinados à armazenagem, arrecadação, destilaria e apoios diversos à vitivinicultura. 

Com uma área coberta de 2.293,55 metros quadrados (m2) e área descoberta de 2.745,45 m2, o imóvel localiza-se nas proximidades da estação de comboios, encontrando-se devoluto e em mau estado de conservação.

O imóvel permanecerá no domínio municipal pelo prazo desejado de 50 anos, preservando o existente e permitindo a sua colocação ao serviço do concelho.