Após um mês e meio em quarentena, Maria Zulmira Borges sente-se “muito pessimista” em relação ao futuro da sua ourivesaria situada na rua João de Deus, em Leiria.

A ourivesaria Campos já está aberta no centro da cidade, mas apenas a proprietária regressou ao trabalho e os dois funcionários mantêm-se em casa.

Maria Zulmira Borges explica que, uma vez que não comercializa bens de primeira necessidade, a falta de clientes está a ser “muito complicada”. “Estou aqui só a gastar luz”, acrescenta.

Ouça em baixo o testemunho da empresária que admite não ver “absolutamente nada que fique melhor ou esperanças de melhoria”.

A proprietária da ourivesaria Campos, em Leiria, olha para o futuro com pessimismo Imagens: Joaquim Dâmaso