Há chapéus de todas as cores e feitios a decorar as ruas do centro histórico de Pombal.

Uns cor-de-rosa, outros cinzentos, amarelos ou brancos, estão adornados com laços, flores e enfeites dos mais variados aspetos.

As obras “Chapéus Pombalinos” fazem parte do projeto “Chegada da primavera ao Centro Histórico”, promovido pela autarquia de Pombal, no âmbito das comemorações dos 250 anos da atribuição do título de Marquês de Pombal a Sebastião José de Carvalho e Melo.

Estes novos adereços pretendem também evidenciar o impulso que Marquês de Pombal deu à indústria de chapelaria no concelho e evocar a produção da Real Fábrica de Chapéus da Gramela, em Pombal, onde funcionou a primeira fábrica de chapéus masculinos, usados pela população de estatuto social elevado, construída em 1759.

Daí o nome da iniciativa: “Chapéus Pombalinos”.

Os trabalhos resultam da criatividade de 36 participantes, desde a comunidade educativa, instituições, lojistas e serviços educativos, que trabalharam para trazer todos estes chapéus às ruas de Pombal para o “embelezamento e dinamização do centro histórico da cidade”, diz o município em comunicado.

Participaram no projeto as instituições de ensino: A Falinha; APEPI; ATL da Junta de Freguesia do Carriço; ATL de Verão – Centro Escolar do Louriçal; ATL do Centro Social de Vila Cã; ATL do Centro Social Paroquial da Pelariga; Centro Escolar de Almagreira; Centro Escolar de Ilha; Centro Escolar de Mata Mourisca; Centro Escolar de Vieirinhos; CERCIPOM; EB1 Conde Castelo Melhor; EB1 de Barrocal; EB1 de Pombal; EB1 de Santiago de Litém; EB1 de Vila Cã; Jardim de Infância de Assanha da Paz; O Sobreirinho; Universidade Sénior de Pombal.

Também participaram os lojistas instalados no centro histórico da cidade: Benetton; Mercearia da Praça; Mota Longo; Rafelli Cabeleireiros; Ritmo Integral – Ervanária; Sociedade de Ferragens de Pombal e Tasca do MI, bem como Amigos do Museu; Associação de Artesãos de Pombal; Trelear; e Serviço Educativo do Museu (com os veraneantes da Praia do Osso da Baleia).

Os Chapéus Pombalinos vão permanecer nas ruas do centro histórico de Pombal nos próximos meses, informa o município, e só serão retirados caso se encontrem danificados.