Não reza a história que, a caminho dos Valinhos, os pastorinhos tenham degustado algum gelado, mas agora já é possível. Em Aljustrel, há um espaço sui generis para descobrir. Alia o conceito de street food, recorrendo a um carrinho onde há sempre 12 sabores para degustar, e a uma esplanada, na rua que leva peregrinos e turistas à Loca do Cabeço ou ao Calvário Húngaro.

O projecto Q’gelado é de Roberto Pereira, um jovem de 29 anos que se assume como um apaixonado pela gelataria e que, por amor, voltou à terra que o viu nascer, deixando o Porto. Desde agosto de 2018 que o carrinho se distingue na paisagem e convida a escolher um gelado e continuar o passeio. Ou a parar um pouco na esplanada que, fruto das orientações da DGS para este período de pandemia, foi reduzida.

“Damos a provar o gelado para a pessoa saber se é aquele que quer”, sublinha o jovem empreendedor. Há 12 sabores para descobrir. Pode optar pelos clássicos (morango, baunilha, chocolate) ou experimentar algo mais arrojado (o de chocolate com gengibre confitado, o de pistácio). Os gelados são artesanais, mas, para quem não aprecia o sabor a leite, há também de fruta e vegan (sem corantes conservantes ou glúten, feitos com fruta da época, de produtor da região).

As crianças preferem os de sabor a chocolate (Snickers, Kinder bueno) mas, garante Roberto Pereira, há sempre novidades para descobrir, já que os 12 sabores vão alterando. Há alguns com sabor alcoólico para quem preferir (Mon chéri ou Licor Beirão) e outros a lembrar sobremesas (arroz doce, cheesecake de frutos silvestres ou leite creme). O gelado de iogurte grego com compota de figo é um dos que tem mais saída, assinala o jovem com mestrado em atividade física adaptada.

Se foi um quebra-cabeças a escolha do sabor, agora, ainda tem de optar comê-lo em cone de bolacha belga artesanal crocante com aroma de baunilha ou em taça de cartão biodegradável.

“O cliente principal é o turista”, comenta o jovem empresário. E se o português demorou mais tempo até se render ao conceito dos gelados artesanais, os italianos e espanhóis “são grandes apreciadores”. Os primeiros preferem o pistácio, os segundos optam pelo gelado de fruta.

A pandemia atrasou os planos de abertura de um espaço físico em Fátima (com mais gelados, além de bolachas e crepes artesanais) mas trouxe mais clientes da região, no take away. O carrinho do Q’gelado adoça ainda o gosto dos convivas em eventos empresariais e festas, mas alguns já foram desmarcados neste ano devido à Covid-19, comenta.

Q’Gelado

Horário (em tempo de pandemia) 10 – 19h30
Morada Rua dos Valinhos, n.º 21, Aljustrel (Fátima)
Preço De 1,90 euros (1 bola) a 12 euros (caixa ed 1 lt)
Take away Reservas até às 19h30, pelo 913635662 ou no Facebook (www.facebook.com/QGelado-Gelados-Artesanais)
Entrega ao domicílio ou em empresas, gratuitamente até 20 quilómetros