Fátima não vai merecer um regime de excepção por parte do Governo, em tempo de pós-pandemia. Os apoios para os empresários do sector do turismo na cidade-santuário não serão distintos do resto do país, assumiu a secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, no final de um encontro de trabalho com hoteleiros em Fátima, a 12 de agosto. Mais do que “discriminar positivamente uma região, devemos trabalhar para um sector uno, coeso”, afirmou.

Rita Marques apresentou os apoios disponíveis para os empresários do turismo

Apesar de reconhecer “algumas especificidades que merecem especial atenção”, nomeadamente o facto de grande parte dos turistas de Fátima serem internacionais (vindos do Brasil, Estados Unidos, Coreia) virem em grupos organizados e serem seniores “leva a olhar para a situação especifica de Fátima com muita atenção e justificam a minha vinda aqui”. 

A secretária de Estado do Turismo apresentou em Fátima os apoios disponíveis para os empresários do sector e anunciou uma versão 2.0 do Programa Adaptar, a par do reforço da linha de microcrédito do Turismo de Portugal. “Será publicado em breve” o despacho interpretativo que fixa as regras de realização de eventos, nomeadamente em feiras e anfiteatros, anunciou ainda.

Rita Marques garantiu que “o mercado de Fátima é importante” e, em resposta às interpelações, assumiu a “preocupação” com a promoção internacional do destino, assinalando que já a partir de setembro, a participação em feiras e eventos está agendada.