A cerimónia de apresentação da ENEAPAI 2030 decorreu no Teatro Miguel Franco, em Leiria Foto: Joaquim Dâmaso

A Estratégia Nacional para os Efluentes Agropecuários e Agroindustriais (ENEAPAI 2030) foi apresentada na manhã desta terça-feira, dia 29, em Leiria, numa cerimónia em que não foi adiantada uma solução para o problema da poluição da Bacia Hidrográfica do Rio Lis.

A divulgação da ENEAPAI 2030 contou com a presença do secretário de Estado da Agricultura e do Desenvolvimento Rural e da secretária de Estado do Ambiente, e a ausência da ministra da Agricultura, indicada para encerrar a cerimónia, que decorreu no Teatro Miguel Franco.

O documento “reconhece a importância económica e social que as atividades agropecuárias e agroindustriais têm para o país e para muitas das suas regiões e do esforço desenvolvido por alguns destes sectores nos últimos anos para fazerem face ao novo enquadramento legislativo, nacional e comunitário”.

No entanto, “persistem ainda problemas ambientais em algumas das bacias hidrográficas de Portugal continental, que decorrem, entre outras razões, das más práticas associadas à gestão dos efluentes gerados por algumas destas atividades em determinadas regiões”.

A estratégia “dá a primazia à valorização agrícola de efluentes agropecuários e agroindustriais que, no entanto, deve ser realizada de forma sustentável, para não contribuir para a alteração do estado das massas de água superficiais e subterrâneas”.

O presidente da Câmara de Leiria, Gonçalo Lopes, disse, numa intervenção na cerimónia, que o município será “intransigente na defesa dos superiores interesses da população” que, de acordo com o autarca, coloca as questões ambientais no topo da lista de preocupações.

As implicações da ENEAPAI 2030 serão desenvolvidas na próxima edição do REGIÃO DE LEIRIA, disponível nas bancas e na loja online a partir de quinta-feira, dia 1.