As autarquias de Ourém, Batalha e Alcobaça têm procurado estar na linha da frente no combate à pandemia e ao apoio a populações de grupos de risco, nomeamente pessoas com mais de 65 anos.

Uma das mais recentes iniciativas está relacionada com a vacina da gripe e a forma como este escalão etário vai ter acesso à vacina.

Em comunicado, a Câmara Municipal de Ourém divulgou que irá assumir “o pagamento dos custos de administração de mil vacinas da gripe”, nas farmácias comunitárias dos concelhos, para cidadãos com mais de 65 anos.

Apesar da vacina ser gratuita para estes cidadãos, o custo de a administrar numa farmácia é, atualmente, de 2,50 euros, valor que será assim suportado pelo município.

A iniciativa pretende “incentivar a vacinação, aumentar a imunização da população com mais de 65 anos e descongestionar os centros de saúde nesta fase de pandemia”, explica a autarquia em comunicado.

Humberto Gameiro, representante das Farmácias de Ourém, felicitou Luís Albuquerque, presidente da Câmara, pela ação de financiamento, que surge a “poucos dias do arranque da segunda fase de vacinação dos grupos de risco, prevista para a próxima segunda-feira, dia 19”.

Até ao momento, “apenas 18 autarquias nacionais aderiram ao projeto”, informa o município.

Também a Câmara Municipal de Alcobaça tem reunido esforços para aumentar a facilidade da administração da vacina através da criação de um “calendário de administração gratuita de vacinas da gripe sazonal, em locais próprios de cada freguesia”.

Na passada quarta-feira, o município, juntamente com o Agrupamento de Centros de Saúde Oeste-Norte, esteve reunido com as 13 juntas de freguesia do concelho, para elaborar o calendário de vacinação.

O plano de vacinação do concelho, destinado à população sénior, permite isentar os cidadãos “da necessidade de se deslocarem aos centros de saúde correndo riscos desnecessários de contágio por Covid-19”, esclarece a Câmara de Alcobaça.

O calendário cumpre o propósito de ajudar os municipes “mais vulneráveis” à pandemia a protegerem-se “da gripe sazonal em locais especialmente preparados para o efeito, com todas as condições de segurança e higiene asseguradas”, destaca Paulo Inácio, presidente da autarquia, citado em comunicado.

Esta articulação “entre a Câmara com as Juntas de Freguesia e as autoridades locais de saúde é determinante para criar todas as condições possíveis de contenção da propagação do novo coronavírus no seio dos chamados grupos de risco”, acrescenta.

Já a partir de amanhã, dia 19, a Câmara da Batalha também vai comparticipar “o custo da administração da vacina da gripe nas farmácias a todas as pessoas com mais de 60 anos, com o objetivo de estimular a opção da vacinação e descongestionar os centros de saúde do concelho”.

Esta medida é realizada com a colaboração das farmácias sedeadas no município e enquadra-se no Regulamento Municipal de Comparticipação de Medicamentos, bem como na “opção de reforço de medidas de promoção da saúde e de prevenção da doença que o município tem em curso desde o início da pandemia”, esclarece o autarca Paulo Batista Santos.

A decisão de avançar com a comparticipação do valor da administração da vacina representa um custo de cerca de 25 mil euros.

Nos concelhos de Óbidos e Bombarral, também os municípios vão comparticipar a campanha de vacinação.

Recorde-se que Alcobaça tinha esta sexta-feira 40 casos ativos de Covid-19, enquanto em Ourém o número de doentes com infeção se situava nos 57, e na Batalha estavam cinco casos ativos.