“Snacks saudáveis na doença celíaca” é o nome do livro digital que chega recheado de dicas para retirar o glúten da alimentação diária mas também receitas para celíacos.

O e-book foi lançado esta semana e surge no âmbito do projeto “Hospital Amigo do Doente Celíaco”, criado em 2018 para garantir “que em todos os serviços de saúde”, das unidades do Centro Hospitalar de Leiria (CHL), existem alimentos aptos à condição do doente celíaco e profissionais que entendem a patologia.

O livro digital, lançado pela Comissão de Humanização do CHL, vem colmatar as principais dificuldades associadas à alimentação celíaca, nomeadamente a “recriação de receitas que tradicionalmente contêm glúten e a necessidade de prevenir a contaminação cruzada”, refere a nutricionista Ângela Carvalho.

Com este livro, explica o CHL em comunicado, passam a existir novas opções alimentares além dos “alimentos naturalmente isentos de glúten” e dos “alimentos processados isentos de glúten”, que constituem uma escolha “economicamente mais dispendiosa e não necessariamente saudável”, acrescenta a médica.

O projeto “Hospital Amigo do Doente Celíaco” tem como principal objetivo “promover a sensibilização para a doença celíaca e o combate ao estigma associado à não ingestão de glúten, muitas vezes relacionado com ‘dietas da moda’”, salienta Andreia Correia, presidente da Comissão de Humanização.

Na opinião da nutricionista Ângela Carvalho, é importante “sensibilizar e discernir o que é uma doença crónica, cujo único tratamento é a retirada permanente do glúten, do que é uma dieta “de moda” adotada por muitas pessoas”.

Desde a criação do projeto, têm sido realizados encontros e workshops sobre a doença, bem como formações destinadas aos manipuladores dos alimentos “sobre os procedimentos a realizar para evitar a contaminação cruzada”, informa o CHL. Também as máquinas de vending no CHL já apresentam maior variedade de alimentos sem glúten.

Para o próximo ano, o objetivo deste projeto será sensibilizar as “escolas da região sobre esta temática, sendo o foco prioritário os estabelecimentos onde estejam já matriculadas crianças celíacas”, adianta Andreia Correia.

“Snacks saudáveis na doença celíaca” pode ser visualizado e descarregado aqui.