Assinar Edições Digitais
Alvaiázere

Célia Marques deixa presidência da câmara em 2021

A informação foi confirmada ao REGIÃO DE LEIRIA pela autarca que aponta “motivos pessoais”.

Célia Marques assumiu presidência após a saída de Paulo Tito Morgado Foto: JTS

A atual presidente da Câmara Municipal de Alvaiázere (CMA), Célia Marques, não será recandidata ao cargo que ocupa desde 2015.

A autarca que foi eleita pelo PSD como independente já transmitiu a intenção à estrutura local dos social-democratas.

O partido terá agora que encontrar um nome para encabeçar a lista às eleições autárquicas de 2021, mas o processo ainda não teve início.

A informação foi avançada pela agência Lusa e confirmada ao REGIÃO DE LEIRIA pela autarca. Célia Marques aponta “motivos pessoais” para a decisão de não se recandidatar. Refere que também tem outros projetos em vista, mas não quer adiantar mais informação.

Numa conversa que aconteceu há cerca de um mês, depois de ter sido sondada pela concelhia do PSD, Célia Marques manifestou “que não estaria disponível” para entrar na corrida eleitoral, explica.

A autarca, que é também arquitecta, subiu à presidência da câmara municipal depois de Paulo Tito Morgado, que tinha sido eleito pela primeira vez em 2005, ter renunciado ao mandato em 2015.

Nas autárquicas de 2017, Célia Marques continuou à frente da autarquia, depois de ter sido eleita com 50,4% dos votos e de ter obtido três dos cinco mandatos possíveis no executivo municipal. A segunda força política é o PS, que consegui 32,4% dos votos, o que significou a eleição dos outros dois vereadores.

Contactado pelo REGIÃO DE LEIRIA, o presidente da concelhia do PSD de Alvaiázere, José Tiago Guerreiro, disse que o partido ainda não arrancou com o processo de escolha do sucessor de Célia Marques e acrescenta que “respeita a decisão” da autarca.

“Ainda não iniciámos o processo [de escolha], só o faremos lá para janeiro”, adiantou.

José Tiago Guerreiro quer seguir o calendário apontado por Rui Rio, para o ataque às autárquicas. “A partir daí vamos reunir a comissão política e vamos estudar o assunto”, afirma. Diz também que ainda não há nomes em cima da mesa nem um perfil traçado para ser candidato pelo PSD.

A informação veio a público na mesma semana em que o executivo de Alvaiázere aprovou um orçamento de 10,5 milhões de euros para 2021. Dos cinco membros do executivo, os dois socialistas votaram contra, informa um comunicado da autarquia.

“Os documentos previsionais do próximo exercício corporizam a execução de alguns projetos, que se revelam essenciais para a concretização da estratégia do executivo municipal, que passa pela combinação de políticas geradoras de emprego e de políticas sociais, com o intuito de atrair e fixar pessoas no território”, sustenta a autarquia.