Assinar
Ambiente

Valorlis recebeu 13 mil toneladas de resíduos para reciclagem em 2020

O metal reciclado será suficiente para fabricar mais de 30 milhões de latas de 0,33 litros e o plástico chegará para produzir mais de 9,8 milhões de t-shirts XL.

foto de camião da Valorlis para transporte de resíduos sólidos urbanos

A separação nos ecopontos da Valorlis – Valorização e Tratamento de Resíduos Sólidos aumentou 10% no ano passado em relação a 2019, tendo sido enviadas para reciclagem 13.802 toneladas de resíduos.

A separação no ecoponto amarelo (plástico e metal) registou o maior crescimento (12%), com 2.688 toneladas de embalagens depositadas.

Também no ecoponto azul (papel e cartão) se verifica um crescimento significativo, na ordem dos 11%. As instalações da Valorlis receberam, através da recolha seletiva, 5.878 toneladas de papel e cartão.

Por fim, foram depositadas 5.256 toneladas de vidro no ecoponto verde, o que representa um crescimento de 9%.

Os resultados alcançados mostram que, “mesmo nos tempos difíceis que todos atravessam, verifica-se que a separação de resíduos é já uma prioridade para muitos munícipes”, afirma a administradora delegada da Valorlis, Marta Guerreiro, citada num comunicado.

De acordo com a empresa, a recolha seletiva nos municípios da área de influência da Valorlis – Batalha, Leiria, Marinha Grande, Ourém, Pombal e Porto de Mós – resultou na poupança de 88 mil árvores.

Além disso, o metal reciclado será suficiente para fabricar mais de 30 milhões de latas de 0,33 litros e o plástico chegará para produzir mais de 9,8 milhões de t-shirts XL.

Já o vidro, será encaminhado para produzir cerca de 15 milhões de garrafas de 0,75 litros, avança ainda a Valorlis.

“Cada cidadão da região, ao separar e depositar os resíduos no ecoponto, contribuiu para que no final de 2020 tenha sido possível enviar para reciclagem materiais que permitem produzir ou poupar recursos muito significativos”, completa Marta Guerreiro.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.