Assinar Edições Digitais
Ambiente

Valorlis recebeu 13 mil toneladas de resíduos para reciclagem em 2020

O metal reciclado será suficiente para fabricar mais de 30 milhões de latas de 0,33 litros e o plástico chegará para produzir mais de 9,8 milhões de t-shirts XL.

A separação nos ecopontos da Valorlis – Valorização e Tratamento de Resíduos Sólidos aumentou 10% no ano passado em relação a 2019, tendo sido enviadas para reciclagem 13.802 toneladas de resíduos.

A separação no ecoponto amarelo (plástico e metal) registou o maior crescimento (12%), com 2.688 toneladas de embalagens depositadas.

Também no ecoponto azul (papel e cartão) se verifica um crescimento significativo, na ordem dos 11%. As instalações da Valorlis receberam, através da recolha seletiva, 5.878 toneladas de papel e cartão.

Por fim, foram depositadas 5.256 toneladas de vidro no ecoponto verde, o que representa um crescimento de 9%.

Os resultados alcançados mostram que, “mesmo nos tempos difíceis que todos atravessam, verifica-se que a separação de resíduos é já uma prioridade para muitos munícipes”, afirma a administradora delegada da Valorlis, Marta Guerreiro, citada num comunicado.

De acordo com a empresa, a recolha seletiva nos municípios da área de influência da Valorlis – Batalha, Leiria, Marinha Grande, Ourém, Pombal e Porto de Mós – resultou na poupança de 88 mil árvores.

Além disso, o metal reciclado será suficiente para fabricar mais de 30 milhões de latas de 0,33 litros e o plástico chegará para produzir mais de 9,8 milhões de t-shirts XL.

Já o vidro, será encaminhado para produzir cerca de 15 milhões de garrafas de 0,75 litros, avança ainda a Valorlis.

“Cada cidadão da região, ao separar e depositar os resíduos no ecoponto, contribuiu para que no final de 2020 tenha sido possível enviar para reciclagem materiais que permitem produzir ou poupar recursos muito significativos”, completa Marta Guerreiro.