Assinar


Castanheira de Pera

Projeto em Castanheira de Pera integra pessoas com deficiência no mercado de trabalho

Sete beneficiários da Cercipaper integram o projeto de cultivo de ervas aromáticas e medicinais “Ervas da Vila”

A Cercicaper, instituição que apoia pessoas com deficiência ou incapacidade e em risco social em Castanheira de Pera, está a desenvolver o projeto “Ervas da Vila”, que visa a integração dos beneficiários no mercado de trabalho.

“O objetivo é que os beneficiários adquiram competências profissionais que permitam que mais facilmente se integrem no mercado de trabalho e adquiram autonomia financeira”, disse à agência Lusa Joana Santos, coordenadora da iniciativa.

O projeto passa pelo cultivo de ervas aromáticas e medicinais, que depois são vendidas, estando envolvidos no “Ervas da Vila” sete beneficiários, que tiveram formação, “quase todos na área da jardinagem”, no centro de formação profissional da Cercicaper – Cooperativa para a Educação e Reabilitação De Cidadãos Inadaptados de Castanheira de Pera, afirmou Joana Santos.

Os terrenos onde são cultivadas as ervas são adjacentes ao centro de acolhimento residencial, outra valência da instituição do distrito de Leiria. A coordenadora explicou que a iniciativa surgiu em 2017, com o apoio da Fundação Montepio.

“A ideia, dado que temos um centro de formação profissional, era integrar estas pessoas no mercado de trabalho, o que não é fácil na região onde está a Cercicaper”, referiu, acrescentando: “Mas quisemos dar o exemplo à comunidade e às empresas de que os contratamos e os integramos connosco, porque até essa data isso não era feito pela ausência de respostas dentro da instituição”.

Então, “apesar de alguns obstáculos”, foi adquirida uma estufa, ferramentas e equipamentos de proteção individual, exemplificou.

“Não é fácil. Não somos uma empresa, não tínhamos conhecimento de processos de marketing, embalamento, até da área técnica da agricultura, pelo que este projeto foi uma descoberta”, declarou.

Entretanto, em 2019, surgiu a oportunidade de uma candidatura ao Portugal Inovação Social. O projeto, de 87.070 euros, teve um financiamento de 70% do Portugal 2020, sendo o restante assegurado pela Câmara de Castanheira de Pera.

Joana Santos assinalou que “Ervas da Vila” está agora a ser acompanhado por consultores, tendo sido adquiridas máquinas para “maximizar produção e vendas”. “E o que queremos é criar uma empresa sustentável, para podermos integrar mais pessoas no projeto”, destacou.

“Não temos uma loja física. Quando era possível [antes da pandemia de Covid-19] participávamos em feiras, mercados e outras iniciativas onde a Cercicaper também atua”, disse Joana Santos, referindo que as vendas, agora através da página do Facebook da instituição, “estão a aumentar”.

Além do “Ervas da Vila”, a Cercicaper dispõe de um centro de atividades ocupacionais, um lar residencial, uma casa de acolhimento residencial para crianças em risco e uma residência autónoma, adiantou a presidente da direção, Suzel santos.

Tem ainda uma equipa local de intervenção precoce na infância, que atua nos concelhos de Castanheira de Pera, Figueiró dos Vinhos e Pedrógão Grande, e é centro de recursos para a inclusão nos agrupamentos de escolas de Castanheira de Pera e Figueiró do Vinhos.

“Temos um centro de formação profissional para pessoas com deficiência ou incapacidade”, para os três concelhos do norte do distrito de Leiria, e é centro de recursos acreditado pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional para as áreas de Sertã e Castelo Branco, acrescentou Suzel Santos.

O concelho de Castanheira de Pera é o de menor dimensão e o menos populoso do distrito de Leiria, contando com 2.614 habitantes em 2019, segundo o Instituto Nacional de Estatística.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.