Assinar


Batalha

Raul Castro confirma candidatura à Batalha com o apoio de António Lucas

Movimento independente onde estão vários ex-autarcas, entre os quais o antigo presidente da câmara da Batalha, António Lucas

O deputado na Assembleia da República eleito pelo PS, pelo círculo de Leiria, Raul Castro assumiu esta sexta-feira, dia 19, que será candidato à câmara da Batalha, nas próximas eleições autárquicas, encabeçando, para já, um movimento independente.

“Este desafio partiu de pessoas da Batalha, que vêm dando conta que a gestão autárquica atual não responde às necessidades dos munícipes e que está a lesar os interesses da população”, disse Raul Castro.

Residente no concelho da Batalha, o deputado adianta que integra um movimento independente, onde estão vários ex-autarcas, entre os quais o antigo presidente da câmara da Batalha, António Lucas, eleito pelo PSD.

“Queremos criar condições para melhorar o concelho e apresentar uma nova gestão que dê corpo aos interesses dos batalhenses. Para quem faz confusão eu estar a assumir uma câmara mais pequena, explico que tem a ver com o espírito de missão”, justificou, aludindo ao facto de ter sido presidente do município de Leiria, cargo que abandonou há cerca de dois anos para ser deputado da República.

Para Raul Castro, é o “espírito de missão” e “estar ao serviço da comunidade” que o faz assumir os projetos de liderar uma câmara.

“Não há discriminação por ser uma câmara maior ou mais pequena. Trabalho ao serviço das pessoas e quero pôr a minha experiência autárquica que reuni ao longo dos anos para resolver os problemas da população”, sublinhou.

Raul Castro admitiu que não está colocada de parte a possibilidade de vir a ser apoiado por um partido político, mas, garantiu, que neste momento o que existe é um “movimento independente de pessoas da sociedade civil que estão preocupadas com a Batalha”.

“É um projeto inclusivo, portanto, todos os que se queiram juntar a nós e que se revejam no nosso projeto podem vir. Para já, temos pessoas com qualidade comprovada, idoneidade e de vários quadrantes políticos. Apresentaremos listas à assembleia municipal, à câmara municipal e às quatro assembleias de freguesia”.

Segundo explicou, o “objetivo principal” é “devolver o município à população”.

“A câmara da Batalha é de todos e só existe em função disso. Sem prometer nada, quero fazer a aproximação do município aos cidadãos e alterar a gestão que está a ser feita. Há muito para fazer em prol das pessoas”, destacou.

Se for eleito presidente, Raul Castro garantiu que irá abandonar o cargo de deputado. “É uma opção.”

Mas se não ganhar as eleições, o ex-autarca assumirá o lugar de vereador, uma vez que sabe que não terá pelouros, manterá o lugar de deputado.

Raul Castro foi presidente da câmara da Batalha entre 1990 e 1997. “Na altura aconteceu algo idêntico. A história repete-se. Foi um movimento que surgiu, mas como a lei não permitia a candidatura de movimentos independentes foi o CDS-PP que apoiou. Ganhou com maioria absoluta”, recordou.

Depois da câmara da Batalha, Raul Castro conquistou o município de Leiria pelo PS em 2009, vitória que garantiu nas duas eleições seguintes, a última com uma clara maioria sobre o PSD.

Conquistou oito mandatos contra os três do PSD.

O ex-presidente abandonou a câmara de Leiria quando António Costa foi reeleito primeiro-ministro, para assumir o cargo de deputado pelo PS.

O município da Batalha, com cerca de 15 mil habitantes, é presidido por Paulo Batista Santos (PSD), que conquistou duas eleições autárquicas.

(Nova versão às 23h30 para clarificar no oitavo parágrafo as candidaturas aos diferentes órgãos autárquicos e para no 12º parágrafo corrigir que assumirá o lugar de vereador).

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.