Assinar


Caldas da Rainha

Caldas da Rainha lança “passaporte” para atrair turismo interno

A campanha proporciona aos visitantes acesso a vários locais turísticos do concelho e a vales de compras nos estabelecimentos aderentes

O “Passaporte das Caldas da Rainha”, iniciativa que visa atrair turistas ao concelho através da oferta de vales de compras no comércio local, é lançado oficialmente este sábado, pela autarquia, na Bolsa de Viagens, em Lisboa.

A ideia, que representa um investimento superior a 26 mil euros, visa, segundo o vereador do Turismo na Câmara das Caldas da Rainha, “tentar captar visitantes para o concelho através da oferta de um passaporte a quem passar pelo menos uma noite em unidades de alojamento, na perspetiva de que, nesta fase de pós pandemia, as pessoas ainda não vão para fora e haja uma grande procura ao nível do turismo interno”.

O passaporte é lançado esta tarde na Bolsa de Viagens a decorrer na FIL – Feira Internacional de Lisboa Foto: CMCC

Na prática, explicou Hugo Oliveira à agência Lusa, “o passaporte terá duas vertentes: por um lado dará acesso a uma visita guiada por vários locais turísticos do concelho, em cada um dos quais o visitante poderá carimbar a sua passagem” e, por outro lado, “conterá dois ‘vouchers’ (vales) de 10 euros para serem aplicados em compras nos estabelecimentos de comércio aderentes”.

De acordo com os dados da autarquia, há 115 estabelecimentos que aderiram à iniciativa, incluindo bares, restaurantes, óticas, lojas de decoração, ourivesarias, entre outros ramos de atividades.

A atribuição do “Passaporte Caldas da Rainha” aos visitantes começará a ser feita na terça-feira, desde que “as pessoas fiquem instaladas numa unidade de alojamento com o selo Clean&safe, do Turismo de Portugal, ou com o selo “Aqui é à confiança”, atribuído pela associação comercial”, sublinhou o vereador.

Entre as unidades hoteleiras ou de alojamento local detentoras destes selos, cerca de 20 aderiram ao “Passaporte Caldas da Rainha”.

A campanha, desenvolvida em parceria pela autarquia e a ACCRO – Associação Empresarial das Caldas da Rainha e do Oeste, vai contar com um investimento inicial de 20 mil euros, para a emissão de 1.000 passaportes, e de 6.500 euros para pagamento das visitas guiadas.

Hugo Oliveira disse à Lusa que a Câmara irá “avaliar os impactos e a adesão dos visitantes” ao passaporte, admitindo que a iniciativa, válida até 4 de junho de 2022, possa ser alargada e alvo de novos investimentos.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.