Assinar
Leiria

Câmara de Leiria apoia série “O Crime do Padre Amaro” com 200 mil euros

Série, assinada por Leonel Vieira, terá seis episódios. Gravações irão decorrer em vários locais da cidade de Leiria e estender-se à Ortigosa e às Cortes

A Câmara de Leiria vai apoiar a produção da série televisiva “O Crime do Padre Amaro” com uma verba de 199 mil euros. A deliberação foi aprovada na reunião do executivo de terça-feira com a abstenção dos vereadores do PSD, ainda que no ano passado tenham votado favoravelmente.

Gravações da série televisiva, com realização de Leonel Vieira, vai decorrer em Leiria, Ortigosa e Cortes Fotos: Joaquim Dâmaso

Não obstante o esclarecimento de que o apoio correspondia a 16,5% de um bolo total estimado de 1,2 milhões de euros para a realização de seis episódios, e não a 50% de um orçamento global de 400 mil euros – sendo este apenas o montante previsto para despesas com argumento, elenco, equipa de realização, equipa de produção e equipa de guarda-roupa -, Fernando Costa (PSD) considerou “o contributo elevado” e defendeu que deveria ser aplicado, em alternativa, na aquisição da casa que já foi de Eça de Queiroz, junto ao Centro Cívico.

Uma proposta que tem defendido reiteradamente e que a maioria socialista admitiu considerar, tendo incluído o projeto de criação de um centro de interpretação na casa onde residiu o escritor no âmbito do Plano Estratégico Municipal da Cultura.

“Não queremos inviabilizar este projeto televisivo mas o nosso foco é para a aquisição o quanto antes do prédio. Embora tenhamos aprovado o ano passado, achamos o contributo bastante elevado”, frisou Fernando Costa.

Segundo Anabela Graça, vereadora da Cultura, a produção da série, que pretendia assinalar no ano passado os 120 anos da morte de Eça de Queiroz, foi adiada devido à pandemia, tendo a intenção sido agora retomada. A realização irá decorrer em vários zonas da cidade de Leiria – Igreja da Misericórdia, largo da Sé, Fonte das Três Bicas, Castelo, Banco das Artes e rua Direita, entre outras ruas do centro histórico -, e estender-se à Ortigosa, nomeadamente ao Agromuseu D. Julinha, e Cortes.

O acordo com a empresa Volf Entertainment e a Like Creative prevê ainda que o pagamento seja efetuado em cinco prestações e que os figurantes sejam recrutados localmente, informou Anabela Graça, tendo ainda referido que o restante financiamento da série, a exibir na RTP1, será assegurado pela RTP (660 mil euros) e duas empresas (341 mil euros).

A autarquia justifica o apoio com o facto do projeto “complementar as iniciativas implementadas pelo Município, nomeadamente a Rota dos Escritores e a Rota d’O Crime do Padre Amaro, esta última decorrente de protocolo celebrado com a Fundação Eça de Queiroz”.

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é assinante, entre com a sua conta. Entrar